2018: Redução no número de estabelecimentos da banca na RAM não impediu crescimento das comissões e dos juros e proveitos equiparados face ao ano anterior

Segundo a informação apurada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em 2018, a outra intermediação monetária (OIM), constituída por estabelecimentos de bancos, caixas económicas e caixa de crédito agrícola, mantinha em atividade 106...

2018: Redução no número de estabelecimentos da banca na RAM não impediu crescimento das comissões e dos juros e proveitos equiparados face ao ano anterior
Segundo a informação apurada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em 2018, a outra intermediação monetária (OIM), constituída por estabelecimentos de bancos, caixas económicas e caixa de crédito agrícola, mantinha em atividade 106 estabelecimentos na Região Autónoma da Madeira (RAM), sendo que face a 2017 registou-se um decréscimo de 12 estabelecimentos. No ano em referência, a mesma fonte indicou que mais de metade (51,9%) dos 106 estabelecimentos de bancos, caixas económicas e caixa de crédito agrícola na RAM estavam concentrados no município do Funchal (55 estabelecimentos), surgindo Calheta e Santa Cruz em segundo lugar com 8 estabelecimentos cada. Informou ainda sobre o número de estabelecimentos de OIM por 10 000 habitantes, na RAM, em 2018, era de 4,2, valor inferior em 0,4 p.p. ao verificado para o país. O Porto Moniz e o Porto Santo apresentavam os rácios mais elevados (8,5 e 7,7, respetivamente), surgindo no polo oposto, Santa Cruz e Câmara de Lobos, penalizados pela sua proximidade ao Funchal, com 1,8 e 2,1 estabelecimentos por 10 000 habitantes, respetivamente.   Os dados também mostram que a aplicação do tratamento de segredo estatístico por parte do INE inviabiliza a divulgação dos números do pessoal ao serviço para três municípios da RAM e para o total da Região no que se refere a 2018. Contudo, a informação disponível para os restantes oito municípios mostram que em todos houve redução do pessoal ao serviço. Os custos com pessoal seguem a mesma tendência, com a exceção da Ponta do Sol onde esta variável cresceu ligeiramente (+1,0%). O INE divulgou também que os juros e proveitos equiparados ascenderam aos 49,7 milhões de euros em 2018, +26,1% que em 2017, enquanto as comissões recebidas pelos estabelecimentos bancários localizados na Região atingiram os 27,0 milhões de euros, tendo crescido 0,7% face ao ano precedente. "Em 2018, os juros de depósitos de clientes também atingiram o nível mais baixo desde 1997, não ultrapassando os 10,7 milhões de euros", informaram.