Adiado o pagamento dos empréstimos bancários que vençam nos próximos seis meses

O Governo português aprovou uma moratória de seis meses, sendo que os bancos ficam impedidos de executar as dívidas de empresas e famílias, até dia 30 de setembro deste ano.  “É aprovada uma moratória de 6 meses, até 30 de setembro de 2020, que prevê a proibição da revogação das linhas de crédito contratadas, a prorrogação ou suspensão dos créditos até fim deste período, de forma a garantir a continuidade do financiamento às famílias e empresas e a prevenir eventuais incumprimentos”, lê-se num comunicado do Conselho de Ministro.  Desta forma, “todos os créditos que se vençam nos próximos seis meses, capital e juros suspendem-se até 30 de setembro. Esta medida irá proporcionar um alivio muito significativo das empresas e famílias”, referiu há instantes o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira.

Adiado o pagamento dos empréstimos bancários que vençam nos próximos seis meses
O Governo português aprovou uma moratória de seis meses, sendo que os bancos ficam impedidos de executar as dívidas de empresas e famílias, até dia 30 de setembro deste ano.  “É aprovada uma moratória de 6 meses, até 30 de setembro de 2020, que prevê a proibição da revogação das linhas de crédito contratadas, a prorrogação ou suspensão dos créditos até fim deste período, de forma a garantir a continuidade do financiamento às famílias e empresas e a prevenir eventuais incumprimentos”, lê-se num comunicado do Conselho de Ministro.  Desta forma, “todos os créditos que se vençam nos próximos seis meses, capital e juros suspendem-se até 30 de setembro. Esta medida irá proporcionar um alivio muito significativo das empresas e famílias”, referiu há instantes o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira.