Alpinista Brad Gobright morre após sofrer queda de 300 metros no México

Brad Gobright, um alpinista norte-americano reconhecido mundialmente, morreu depois de cair de uma altura de 300 metros enquanto tentava descer um penhasco no México. De acordo com informação divulgada pelo Notícias ao Minuto, citando a Sky...

Alpinista Brad Gobright morre após sofrer queda de 300 metros no México
Brad Gobright, um alpinista norte-americano reconhecido mundialmente, morreu depois de cair de uma altura de 300 metros enquanto tentava descer um penhasco no México. De acordo com informação divulgada pelo Notícias ao Minuto, citando a Sky News, o alpinista de 31 anos estava a descer com o parceiro de aventura, Aidan Jacobson, de 26 anos, em Potrero Chico, um destino de escalada popular. Ambos caíram quando desciam, refere a mesma fonte, mas Aidan conseguiu sobreviver apesar de ter sofrido um ferimento no tornozelo. Já para Brad, a queda foi fatal. A mesma fonte refere que os dois homens estavam a escalar a montanha Sendero Luminoso que tem uma altura de 850 a 900 metros de altura e usavam uma técnica chamada simul-rapel, que consiste em que dois alpinistas desçam em dois extremos de uma corta, a servirem de contrapeso um ao outro. Segundo a revista Outside, os homens não tinham dado nós nas pontas das cordas, o que poderia ter evitado a queda. Vários alpinistas evitam dar nós porque fazem com que as cordas fiquem presas. Em declarações à mesma publicação, Aidan disse que o acidente era um "vulto". "Eu estava um pouco acima dele", começou por dizer. "Estava do lado esquerdo e ele do direito e de repente senti um estalo e começámos a cair", recordou o alpinista.  "Ele gritou, eu gritei. Passámos por vegetação e lembro-me de ver a camisola azul a saltar sobre a dobra do penhasco", revelou. A queda de Aidan foi amortecida por um arbusto antes de chegar à beira e foi ajudado de imediato por dois alpinistas que assistiram ao acidente. O Departamento de Estado dos Estados Unidos confirmou a morte do alpinista e ofereceu as "mais sinceras condolências à família". "Estamos a acompanhar de perto a investigação  das autoridades locais e a fornecer apoio consular. Por respeito à família durante esta altura difícil, não temos mais comentários", disseram, citados pelo Notícias ao Minuto.