AON lança 'checklist' para empresas prepararem regresso à atividade

A Aon lançou uma ferramenta de avaliação do nível de maturidade das empresas na gestão de risco, para que estas percebam o grau de preparação que têm para retomar a atividade após o levantamento do estado de emergência. "Face aos desafios criados pelo surto global do novo coronavírus e à falta de preparação das empresas para enfrentar riscos de saúde pública, a 'Risk & People Checklist' surge da necessidade de reavaliar a real exposição a todos os riscos a que as empresas podem estar sujeitas nas diversas fases do processo de retoma da sua atividade, de forma que o 'top management' [gestão de topo] possa tomar decisões mais conscientes e estruturadas a respeito do futuro da sua organização", refere o vice-presidente executivo da Aon Portugal, citado num comunicado. Através desta ferramenta, explica Carlos Freire, "os líderes das empresas terão de completar um questionário que visa pontuar o nível de preparação de sua organização para regressar à normalidade", sendo que, "para obter a sua classificação, terão de ser identificadas as ações implementadas ou planeadas para minimizar o risco nas diferentes dimensões da empresa, nomeadamente ao nível das pessoas, políticas, escritório e temas gerais organizacionais". Entre as ações identificadas no questionário estão a criação de processos de auscultação regular dos colaboradores, a garantia de condições de teletrabalho, o desenvolvimento de campanhas de sensibilização para comportamentos de higiene e proteção do contágio, entre muitas outras.

AON lança 'checklist' para empresas prepararem regresso à atividade
A Aon lançou uma ferramenta de avaliação do nível de maturidade das empresas na gestão de risco, para que estas percebam o grau de preparação que têm para retomar a atividade após o levantamento do estado de emergência. "Face aos desafios criados pelo surto global do novo coronavírus e à falta de preparação das empresas para enfrentar riscos de saúde pública, a 'Risk & People Checklist' surge da necessidade de reavaliar a real exposição a todos os riscos a que as empresas podem estar sujeitas nas diversas fases do processo de retoma da sua atividade, de forma que o 'top management' [gestão de topo] possa tomar decisões mais conscientes e estruturadas a respeito do futuro da sua organização", refere o vice-presidente executivo da Aon Portugal, citado num comunicado. Através desta ferramenta, explica Carlos Freire, "os líderes das empresas terão de completar um questionário que visa pontuar o nível de preparação de sua organização para regressar à normalidade", sendo que, "para obter a sua classificação, terão de ser identificadas as ações implementadas ou planeadas para minimizar o risco nas diferentes dimensões da empresa, nomeadamente ao nível das pessoas, políticas, escritório e temas gerais organizacionais". Entre as ações identificadas no questionário estão a criação de processos de auscultação regular dos colaboradores, a garantia de condições de teletrabalho, o desenvolvimento de campanhas de sensibilização para comportamentos de higiene e proteção do contágio, entre muitas outras.