BE afirma que é “deprimente” a luta pelos “tachos” no SESARAM

Num comunicado enviado esta tarde às redações, o Bloco de Esquerda referiu que “o SESARAM tem sido palco de um espetáculo deprimente, de disputa de tachos, oferecido à população pelo novo Governo Regional, que afinal e apesar da entrada do...

BE afirma que é “deprimente” a luta pelos “tachos” no SESARAM
Num comunicado enviado esta tarde às redações, o Bloco de Esquerda referiu que “o SESARAM tem sido palco de um espetáculo deprimente, de disputa de tachos, oferecido à população pelo novo Governo Regional, que afinal e apesar da entrada do CDS não tem nada de novo”.   “O espetáculo triste é a luta pelos tachos na estrutura do SESARAM que tem sido a única preocupação demonstrada pelos dois partidos do Governo. Albuquerque diz que é o governo quem manda, mas não tem de mandar em tudo e esse é o problema” lê-se na referida nota. De acordo com o Bloco de Esquerda “o Governo quer mandar onde não deve, na direção clínica, de enfermagem, em toda a estrutura, passando por cima da administração e das chefias. E faz isso, não para que o serviço de Saúde funcione melhor, mas para controlar, para colocar nos lugares os seus boys - as pessoas da sua confiança pessoal e política - e não as mais capazes”. O partido afiança ainda que “ao diretor clinico não compete fazer política”, nem “tem de ser da confiança do Governo” mas tem sim que lograr a confiança dos médicos e que por isso mesmo deve ser “eleito pelos seus pares” tal como “a direção de enfermagem e outros cargos intermédios, devem ser eleitos. Até a administração deveria ser eleita, como acontece nas escolas”. O BE acusa do mesmo modo que este quadro de “intromissão” reflete a “cultura do quero posso e mando” do Governo, e que este deve “meter menos o bedelho e respeitar mais a autonomia dos profissionais, dar-lhes os meios necessários para as suas funções - eles sabem melhor como fazer funcionar o serviço de saúde que os governantes, a estes compete dar as orientações estratégicas”. “Este espetáculo da disputa dos tachos ainda é mais deprimente quando nos deparamos com a tragédia das listas de espera, com casos com mais de 10 anos, quando nos deparamos com um surto de gripe B, quando há gente que morre por falta de resposta do serviço público e não tem recursos para ir ao privado, como é exemplo a medicina dentária”. Por fim, expõem que governar passa por resolver os problemas da população acusando o Governo de “apenas governar-se” e deixar as prioridades do povo de lado.