Bombeiros pedem regras para travar desastres

No rescaldo de mais uma morte nas serras madeirenses, Artur Fernandes, comandante dos Bombeiros Voluntários de São Vicente e Porto Moniz, pede a reflexão de todas as entidades para colocar ordem ao comportamento irresponsável de alguns turistas. Diz faltarem regras e maior fiscalização e pede mudanças para evitar que o destino fique “manchado porque vêm para cá e morrem ou desaparecem”, lamenta. Esta é a notícia que faz a manchete de hoje do seu JM, numa Primeira Página que lança um desafio aos madeirenses. Preparem-se para uma ‘comédia a la carte’. César Mourão, Carlos Cunha e Gustavo Miranda apresentam pela primeira vez na Madeira o espetáculo ‘Do nada, TUDO SE CRIA’. Uma peça com a chancela do JM, que sobe ao palco do Centro de Congressos da Madeira a 29 de dezembro. César Mourão promete “uma comédia de improvisação, com propostas dadas pelo público”. Saiba ainda que primeiro voo direto de Caracas foi adiado para o dia 30 e que Grupo Sousa tem 310 milhões de euros para enfrentar desafios. Quanto ao ‘Caso do Monte’, foi entregue à juíza Joana Dias, e já no que diz respeito ao Funchal, Bruno Pereira justifica constrangimentos no trânsito com a renovação da cidade. Saiba também que Veiga França critica “trapalhada” de Costa nos aumentos salariais.

Bombeiros pedem regras para travar desastres
No rescaldo de mais uma morte nas serras madeirenses, Artur Fernandes, comandante dos Bombeiros Voluntários de São Vicente e Porto Moniz, pede a reflexão de todas as entidades para colocar ordem ao comportamento irresponsável de alguns turistas. Diz faltarem regras e maior fiscalização e pede mudanças para evitar que o destino fique “manchado porque vêm para cá e morrem ou desaparecem”, lamenta. Esta é a notícia que faz a manchete de hoje do seu JM, numa Primeira Página que lança um desafio aos madeirenses. Preparem-se para uma ‘comédia a la carte’. César Mourão, Carlos Cunha e Gustavo Miranda apresentam pela primeira vez na Madeira o espetáculo ‘Do nada, TUDO SE CRIA’. Uma peça com a chancela do JM, que sobe ao palco do Centro de Congressos da Madeira a 29 de dezembro. César Mourão promete “uma comédia de improvisação, com propostas dadas pelo público”. Saiba ainda que primeiro voo direto de Caracas foi adiado para o dia 30 e que Grupo Sousa tem 310 milhões de euros para enfrentar desafios. Quanto ao ‘Caso do Monte’, foi entregue à juíza Joana Dias, e já no que diz respeito ao Funchal, Bruno Pereira justifica constrangimentos no trânsito com a renovação da cidade. Saiba também que Veiga França critica “trapalhada” de Costa nos aumentos salariais.