Brexit: Juncker e Johnson vão falar ao telefone esta tarde

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e o novo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, vão conversar esta tarde por telefone, confirmou a porta-voz do executivo comunitário. Mina Andreeva detalhou, numa publicação na sua...

Brexit: Juncker e Johnson vão falar ao telefone esta tarde
O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e o novo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, vão conversar esta tarde por telefone, confirmou a porta-voz do executivo comunitário. Mina Andreeva detalhou, numa publicação na sua conta na rede social Twitter, que Juncker e Johnson vão falar pelas 17:45 de Bruxelas (16:45 em Lisboa). Esta será a primeira conversa entre os dois depois da entrada de Boris Johnson em funções na quarta-feira. O novo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, mostrou-se na quarta-feira convicto de que será possível negociar um "novo acordo, um acordo melhor" para o ‘Brexit', num discurso feito após a sua indigitação pela rainha Isabel II. A ideia foi rejeitada esta manhã pela própria Mina Andreeva, que em nome da Comissão Europeia reiterou que Bruxelas não vai reabrir o Acordo de Saída do Reino Unido da União Europeia. “Seguimos o discurso do primeiro-ministro britânico. Não vou comentar tudo o que ele disse, mas posso reiterar a posição da UE, que se mantém inalterada. Firmámos um Acordo de Saída com o governo do Reino Unido e o acordo que alcançámos é o melhor possível”, declarou a porta-voz da Comissão Europeia na conferência de imprensa diária da instituição. Andreeva reproduziu ‘ipsis verbis’ aquela que tem sido a mensagem do executivo comunitário nos últimos meses, contrapondo a disponibilidade do executivo comunitário para “adicionar texto” à Declaração Política à intransigência para renegociar o acordo. Esta tarde, Johnson voltou a insistir que os termos do Acordo de Saída, acordados entre Bruxelas e o governo de Theresa May em novembro passado, são “inaceitáveis”, recordando que o texto foi rejeitado em três ocasiões pelo parlamento britânico. O líder do partido Conservador, Boris Johnson, foi indigitado primeiro-ministro britânico pela rainha Isabel II, na sequência da demissão formal de Theresa May devido à dificuldade em concluir o ‘Brexit'.