'Building the Future': Madeira assume como desafio a articulação entre negócios e ensino

 O Funchal, através da ACIF, associa-se, hoje, ao maior evento de transformação digital em Portugal, promovido pela Microsoft. Rui Barreto, secretário da Economia, foi um dos intervenientes e definiu como meta na Madeira assegurar um ensino...

'Building the Future':  Madeira assume como desafio a articulação entre negócios e ensino
 O Funchal, através da ACIF, associa-se, hoje, ao maior evento de transformação digital em Portugal, promovido pela Microsoft. Rui Barreto, secretário da Economia, foi um dos intervenientes e definiu como meta na Madeira assegurar um ensino feito no contexto das empresas. Ligar a Universidade da Madeira (UMa), os cursos superiores de formação específica, as escolas e o ensino profissional às empresas é uma medidas futuras que o Governo Regional quer implementar na Madeira, por forma a fomentar a inovação, a rentabilização dos negócios e a empregabilidade. A garantia é de Rui Barreto que participou, esta quarta-feira, na iniciativa 'Building The Future', a decorrer no pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa, mas que conta com a participação do Funchal, através de workshops e debate promovidos na sede da Associação Comercial e Industrial do Funchal (ACIF). Mais de 3200 participantes, 50 parceiros, 40 startups e 150 oradores assistem a mais de 80 sessões disruptivas, divididas pelas categoriias 'Vision' (para todas as audiências), 'Strategy' (para decisores de negócio), 'Foundations' (para aproximar decisores de negócio e de tecnologia) e 'Code' (sessões técnicas dedicadas a IT Pros, developers e makers).   Rui Barreto, que esta manhã, presidiu ao evento, no Funchal, apela ao despertar para a tecnologia e a  inovação como áreas em que a Madeira pode competir sem as limitações geográficas e a condição insular e ultraperiférica. Evocando os exemplos regionais de exportação de conhecimento e tecnolgia, o secretário regional destacou o empenho do Governo em apoiar este setor, dando como exemplo a aposta no cabo submarino que vai reduzir os custos com as comunicações. "O Governo está empenhado em continuar a criar na Madeira um bom ambiente para os negócios", sublinhou, recordando que a Região tem a mais baixa taxa de IRC para as PME's, nos 11,9%, e garantindo que a redução dos custos de contexto para as empresas vai manter-se, de forma progressiva. "A intenção, a médio prazo, é projetar uma tendência gradual, mas segura, da carga fiscal", concluiu.