Capela das Babosas praticamente concluída

A reconstrução da Capela das Babosas que foi devastada pela tragédia do 20 de fevereiro de 2010, no Monte, está quase concluída. As operações de reconstrução iniciaram-se em julho de 2019, sendo que um mês depois Miguel Albuquerque, presidente do Governo Regional, esteve presente na cerimónia de lançamento da primeira pedra da obra de reconstrução, no Largo das Babosas. Recorde-se que conforme noticiou o JM na altura, a reconstrução da Capela gerou posições favoráveis e contrárias. O padre José Luís Rodrigues chegou a abrir um debate com uma carta aberta a Miguel Albuquerque pedindo que repensasse a decisão e alertou ainda para a inutilidade de reconstruir a capela. Já a Diocese do Funchal garantiu que “todo o povo de Deus” quer a reconstrução da capela das Babosas. A empreitada, é da responsabilidade da Diocese do Funchal e financiada pelo Governo Regional. O JM sabe ainda que na noite passada, no Caminho das Babosas, a Câmara Municipal do Funchal (CMF) procedeu à pintura do arruamento com linhas amarelas, eventualmente para evitar estacionamento desordenado no futuro.   

Capela das Babosas praticamente concluída
A reconstrução da Capela das Babosas que foi devastada pela tragédia do 20 de fevereiro de 2010, no Monte, está quase concluída. As operações de reconstrução iniciaram-se em julho de 2019, sendo que um mês depois Miguel Albuquerque, presidente do Governo Regional, esteve presente na cerimónia de lançamento da primeira pedra da obra de reconstrução, no Largo das Babosas. Recorde-se que conforme noticiou o JM na altura, a reconstrução da Capela gerou posições favoráveis e contrárias. O padre José Luís Rodrigues chegou a abrir um debate com uma carta aberta a Miguel Albuquerque pedindo que repensasse a decisão e alertou ainda para a inutilidade de reconstruir a capela. Já a Diocese do Funchal garantiu que “todo o povo de Deus” quer a reconstrução da capela das Babosas. A empreitada, é da responsabilidade da Diocese do Funchal e financiada pelo Governo Regional. O JM sabe ainda que na noite passada, no Caminho das Babosas, a Câmara Municipal do Funchal (CMF) procedeu à pintura do arruamento com linhas amarelas, eventualmente para evitar estacionamento desordenado no futuro.