'Casa cheia' na Calheta em mais uma ronda rumo à autárquicas

A ronda do PSD-Madeira pelas concelhias, na preparação para as eleições autárquicas de 2021, teve esta noite 'casa cheia' na Calheta, município liderado pelo social-democrata Carlos Teles. Esta reunião aconteceu depois de encontros semelhantes...

'Casa cheia' na Calheta em mais uma ronda rumo à autárquicas
A ronda do PSD-Madeira pelas concelhias, na preparação para as eleições autárquicas de 2021, teve esta noite 'casa cheia' na Calheta, município liderado pelo social-democrata Carlos Teles. Esta reunião aconteceu depois de encontros semelhantes na Ribeira Brava, Câmara de Lobos, Santa Cruz e Ponta do Sol. Portador de uma mensagem de força aos militantes, Miguel Albuquerque deu a conhecer aos presentes os princípios e as medidas estratégicas que irão nortear o presente mandato e vincou a necessidade de o partido se abrir à sociedade, integrar novos quadros e chegar aos mais jovens, de modo a reforçar a sua força nos 11 concelhos da RAM.  "Os nossos Militantes demonstraram, mais uma vez este ano, a sua força, o seu trabalho e a sua capacidade de resistência ao serviço do Partido e da Região", disse o presidente dos social-democratas madeirenses, sublinhando a importância desse trabalho ser agora continuado e intensificado, no terreno. Miguel Albuquerque exortou os militantes a assegurarem que "o PSD continue a ser, tal como o foi nestes últimos 43 anos, um partido vencedor e, acima de tudo, um partido que contribui para a melhoria da qualidade de vida de todos os Madeirenses e Porto-Santenses, enquanto que os restantes permanecem e irão permanecer, pelo menos mais quatro anos, na oposição". Dizendo que conta com todos, lembrou "que o PSD/M é um partido com valores enraizados, com história e com obra feita, um partido que concretizou os seus objetivos em duas gerações, num trabalho que, agora, compete aos mais jovens assegurar".  Albuquerque assumiu perante os militantes da Calheta que todos os compromissos para com a população serão integralmente cumpridos, até 2023, tendo por base "um Programa de Governo que olha para a Região como um todo e que permite inovar, mas, também, dar continuidade a um conjunto de políticas que permitiram a evolução da Madeira e do Porto Santo, ao longo dos últimos quatro anos, em todos os indicadores sociais e económicos".