CMF vai doar mobiliário armazenado no antigo Matadouro a instituições de solidariedade social

A Câmara Municipal do Funchal adjudicou, esta semana, a empreitada de reabilitação do antigo Matadouro do Funchal, que passará a ser um complexo de criatividade, empreendorismo e inovação social. A recuperação do edifício compreende três grandes...

CMF vai doar mobiliário armazenado no antigo Matadouro a instituições de solidariedade social
A Câmara Municipal do Funchal adjudicou, esta semana, a empreitada de reabilitação do antigo Matadouro do Funchal, que passará a ser um complexo de criatividade, empreendorismo e inovação social. A recuperação do edifício compreende três grandes áreas: uma incubadora de microempresas de indústrias criativas, um espaço de performance artística e exposições e, finalmente, ateliers e oficinas de restauro e design de equipamentos. Concluído o respetivo concurso público internacional, a obra foi adjudicada por 3,9 milhões de euros + IVA. Desta forma, será necessário começar de imediato a desocupar o edifício que, ao longo dos últimos anos, serviu de espaço para armazenamento de doações de mobiliário feitas à Autarquia pelos mais diversos agentes, desde cidadãos a título pessoal, até hotéis em processo de remodelação, por exemplo, entre outros. Nesta lógica, ali se instalou, em 2013, a Oficina Solidária da Câmara Municipal do Funchal, um projeto orgânico da SociohabitaFunchal, criado nesse ano a partir da perceção de que muitas das pessoas a quem era concedida habitação social, não tinham depois meios para assegurar o recheio das suas novas casas. A equipa de trabalho da Oficina Solidária da CMF tem, assim, vindo a ocupar o Matadouro desde então, restaurando quer o mobiliário doado, quer outras peças que eram deitadas fora e que passaram a ser recuperadas pelo Departamento de Ambiente. Desde então, já foram ajudadas centenas de famílias dos bairros sociais camarários, num trabalho que prosseguirá agora num espaço na Baixa da cidade, cedido gentilmente para o efeito pelo empresário Francisco Costa, a quem o Município reconhece e agradece. No sentido agora de retirar do espaço as peças de mobiliário ainda existentes, a Autarquia decidiu, a partir da próxima semana, abrir as portas à comunidade, pelo que serão doados a instituições particulares de solidariedade social (IPSS) todos os bens móveis que se encontram depositados no edifício do Matadouro. Para o efeito, entre os dias 3 e 14 de fevereiro, será permitido o acesso ao edifício a representantes de todas as IPSS da Região, com o fim de selecionar bens com os quais estas pretendam ficar. As visitas decorrerão das 9h30 às 12h30 e das 14h30 às 17h, sendo que os representantes das associações devem sempre fazer apresentar-se de um documento de identificação que comprove que pertencem à mesma, como o cartão de contribuinte da associação. O transporte dos bens móveis escolhidos será posteriormente da responsabilidade das próprias IPSS.