Comando Operacional da Madeira inicia “transformação” para tornar a sua missão mais eficaz

O Comando Operacional da Madeira, estrutura que coordena o dispositivo militar na região autónoma, vai iniciar um processo de "transformação" visando um desempenho mais eficaz das missões que lhe estão atribuídas, disse hoje o comandante, João...

Comando Operacional da Madeira inicia “transformação” para tornar a sua missão mais eficaz
O Comando Operacional da Madeira, estrutura que coordena o dispositivo militar na região autónoma, vai iniciar um processo de "transformação" visando um desempenho mais eficaz das missões que lhe estão atribuídas, disse hoje o comandante, João Dores Aresta. "A transformação decorre do facto de o Comando Operacional necessitar de se capacitar para desempenhar cabalmente as missões que lhe estão atribuídas, quer aquelas que são do âmbito estritamente militar, quer as de apoio à Proteção Civil, quer as de salvaguarda e proteção de pessoas e bens", explicou. O contra-almirante Dores Aresta falava aos jornalistas no decurso de uma visita de apresentação da missão do Comando Operacional da Madeira, localizado nos arredores do Funchal. "Essas transformações passam essencialmente pelo centro de operações, que vai ser alvo de uma transformação tecnológica e infraestrutural", disse, indicando que serão instalados novos equipamentos e fontes de informação, no âmbito de um projeto deverá ficar concluído até ao final do primeiro semestre de 2020. Dores Aresta, que assumiu o cargo de comandante operacional em outubro de 2019, sublinhou que o grande objetivo é tornar mais eficiente a condução de operações no arquipélago envolvendo os três ramos das Forças Armadas - Exército, Marinha e Força Aérea - bem como o Serviço Regional de Proteção Civil e as forças e serviços de segurança. "Por outro lado, a transformação tecnológica visa a instalação de novas fontes de informação, para nos permitir ter um panorama mais claro daquilo que nos rodeia em termos marítimos, aéreos e terrestres", disse, destacando a possibilidade de partilha com os centros de operações do Comando Operacional dos Açores e do Comando Conjunto para as Operações Militares. O Comando Operacional da Madeira pretende, por outro lado, introduzir o uso de 'drones' em operações de vigilância e controlo do espaço regional, pelo que já solicitou a colaboração da Universidade da Madeira para apoio ao nível tecnológico.