Comando Operacional da Madeira lança Plano Estratégico para 2020

​O Comando Operacional da Madeira (COM) lançou ontem o seu Plano Estratégico para 2020. Delineado pelo novo Comandante Operacional, contra-almirante João Dores Aresta, este plano preconiza a transformação infraestrutural e tecnológica deste...

Comando Operacional da Madeira lança Plano Estratégico para 2020
​O Comando Operacional da Madeira (COM) lançou ontem o seu Plano Estratégico para 2020. Delineado pelo novo Comandante Operacional, contra-almirante João Dores Aresta, este plano preconiza a transformação infraestrutural e tecnológica deste comando, dotando-o das condições necessárias à execução das missões que lhe estão atribuídas, quer as de natureza estritamente militar, quer as que contribuem para o apoio militar de emergência ao Serviço Regional de Proteção Civil e à proteção e salvaguarda de pessoas e bens na Região Autónoma da Madeira (RAM), refere o Estado-Maior-General das Forças Armadas, através de um comunicado. O plano inclui a edificação da primeira capacidade conjunta de vigilância a longa distância por meios aéreos não tripulados (drones), que corresponde a um avanço tecnológico de assinalável importância. Para o desenvolvimento desta capacidade inédita a nível nacional, o COM conta com a participação da Universidade da Madeira e do tecido empresarial madeirense, tendo já sido dados os primeiros passos junto do Reitor da Universidade, para a concretização desta parceria e a inclusão de jovens estudantes universitários no projeto. O Contra-almirante Aresta tem, nos últimos dias, acelerado os contactos para que seja possível realizar os primeiros testes desta capacidade no exercício LUSITANO 20, que se realizará na RAM no próximo ano.  O plano prevê, ainda, o arranque de novas iniciativas de divulgação das Forças Armadas na Região, com a demonstração de atividades militares e a realização de palestras sobre as Forças Armadas e as suas missões em todos os concelhos da Madeira e no Porto Santo. A iniciativa “Alista-te por um dia” continuará a ser uma realidade, mas o esforço de captação do interesse da juventude madeirense alargar-se-á a faixas etárias mais próximas das idades de recrutamento, com o lançamento de uma nova iniciativa, o “Ingressa no futuro”.  Abrir o COM ao estágio de estudantes universitários e escolas profissionais é outro dos objetivos deste Plano Estratégico para 2020. O Contra-almirante Aresta pretende ainda retomar a realização das Conferências de Segurança e Defesa Nacional, cuja última edição já data de 2016, estando ainda a preparar um programa que visa promover a apresentação das novas capacidades do COM a entidades governamentais, parlamentares e autárquicas, entre outras. Paralelamente, e no sentido de fomentar a abertura deste Comando Operacional à comunidade, vão ser realizadas mensalmente conferências temáticas sobre temas da atualidade, denominadas de “Conversas no COM”, para as quais serão convidadas figuras de destaque da Região. Uma imagem renovada do Comando na Internet, é outra das apostas do novo Comandante Operacional.  De entre as diversas medidas a implementar na área infraestrutural, destaca-se a requalificação dos alojamentos que acolhem o pessoal do COM, garantindo-lhes melhores condições de habitabilidade, bem como melhoramentos nos refeitórios e outras áreas de uso comum. Já na área tecnológica, destaca-se a capacitação da sala de operações com um sistema de apoio à decisão, que sirva tanto operações militares, como operações de apoio a emergências civis, e a reativação das redes de comunicações, de forma a garantir a autonomia estratégica das comunicações em toda a RAM e com o Continente e os Açores. Assumir a realização anual, na Madeira, do exercício de operações especiais SOFEC, atraindo à RAM as principais forças de operações especiais de países aliados e amigos, será um dos resultados naturais do esforço de transformação do Comando Operacional da Madeira. ​