Cometa gigante vai passar perto da Terra

Um cometa entrou no Sistema Solar e vai passar próximo do nosso planeta ainda este mês, o que está a atrair grande atenção da comunidade científica. A informação é avançada pelo Correio da Manhã, que revela que o cometa vai passar a 190 milhões...

Cometa gigante vai passar perto da Terra
Um cometa entrou no Sistema Solar e vai passar próximo do nosso planeta ainda este mês, o que está a atrair grande atenção da comunidade científica. A informação é avançada pelo Correio da Manhã, que revela que o cometa vai passar a 190 milhões de quilómetros, distância um pouco superior à da Terra ao Sol, que é de 150 milhões de quilómetros.  Uma foto captada por astrónomos da Universidade de Yale (EUA) revela que o cometa em si tem apenas 1,6 quilómetros, mas os gases que formam a cauda atingem impressionantes 160 mil quilómetros. Corresponde a 14 vezes a dimensão da Terra. "É humilhante perceber quão pequena é a Terra ao lado deste visitante", diz Pieter van Dokkum, professor de Astronomia de Yale, citado pela mesma fonte. Foi descoberto no final de agosto pelo astrónomo amador russo Gennadiy Borisov, cujo nome foi atribuído ao cometa. "O objeto atingirá o pico de brilho em meados de dezembro e continuará a ser observável com telescópios de tamanho moderado até abril de 2020. Posteriormente, só será observável com telescópios profissionais e maiores até outubro de 2020", revelou Dave Farnocchia, do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA. Será já no próximo domingo, dia 8 de dezembro, que o 2l/Borisov, originalmente designado por C/2019 Q4 (Borisov), passará mais próximo da Terra. Os astrónomos estão a aproveitar a visita do cometa para "obter informações sobre os blocos de construção de planetas em sistemas diferentes dos nossos", explicou Greg Laughlin, professor de astronomia de Yale. Este é apenas o segundo objeto interestelar a ser captado pelos astrónomos. O primeiro objeto vindo de outro sistema estelar observado na Terra foi o Oumuamua, em outubro de 2017. Os cientistas acreditam que existem outros visitantes interestelares a passar pelo Sistema Solar sem serem detetados. No futuro, a instalação de observatórios como o Large Synoptic Survey Telescope, no Chile, que está previsto entrar em funcionamento em 2022, deverá permitir a observação de muitos outros cometas, mesmo os de pequena dimensão. Agências espaciais em todo o Mundo esperam também conseguir nos próximos anos realizar missões que permitam intercetar e estudar objetos interestelares. A Agência Espacial Europeia está a preparar uma missão para intercetar cometas, que está prevista ser lançada em 2028.