Comissão de utentes pede à Saúde atualização do Microsite da Transparência

A Comissão de Utentes do Serviço Regional de Saúde esteve esta manhã junto à Secretaria de Saúde e Protecção Civil para proceder à entrega de um ofício no qual solicita a actualização do Microsite da Transparência, mas também que sejam fornecidos à Comissão os dados da saúde referentes a 2019 e ao primeiro semestre de 2020, para que seja nítido o real impacto da pandemia no Serviço Regional de Saúde. Carolina Cardoso, dirigente desta Comissão de Utentes, chamou a atenção para os últimos dados que vieram a público através da comunicação social, colocando à tutela algumas questões. "Como podem dizer-nos que houve uma diminuição de 24% das cirurgias, 38% das consultas médicas presenciais e menos 27% de atendimentos nas urgências, relativamente ao período homólogo, se nós nem acesso temos aos números de 2019. Como podem os utentes ter uma noção real do que se passa na saúde? Estas percentagens correspondem a que números? Não podemos saber concretamente porque não há transparência. Chegam-nos relatos de utentes que receberam chamadas a cancelar consultas e agora vêem que essa chamada foi indicada na sua ficha como tele consulta. É assim que se aumentaram os números de tele consulta em 124%? Se pretendemos um modelo de saúde de prevenção com a base nos cuidados primários de saúde, este não é o caminho que estamos a seguir. Quantas doenças ficaram por diagnosticar neste primeiro semestre de 2020? Em que números páram as listas de espera do SESARAM?", lançou no ar estas questões. Esta comissão terminou dizendo que "ficará a aguardar a cooperação da Secretaria de Saúde em facultar os dados".  

Comissão de utentes pede à Saúde atualização do Microsite da Transparência
A Comissão de Utentes do Serviço Regional de Saúde esteve esta manhã junto à Secretaria de Saúde e Protecção Civil para proceder à entrega de um ofício no qual solicita a actualização do Microsite da Transparência, mas também que sejam fornecidos à Comissão os dados da saúde referentes a 2019 e ao primeiro semestre de 2020, para que seja nítido o real impacto da pandemia no Serviço Regional de Saúde. Carolina Cardoso, dirigente desta Comissão de Utentes, chamou a atenção para os últimos dados que vieram a público através da comunicação social, colocando à tutela algumas questões. "Como podem dizer-nos que houve uma diminuição de 24% das cirurgias, 38% das consultas médicas presenciais e menos 27% de atendimentos nas urgências, relativamente ao período homólogo, se nós nem acesso temos aos números de 2019. Como podem os utentes ter uma noção real do que se passa na saúde? Estas percentagens correspondem a que números? Não podemos saber concretamente porque não há transparência. Chegam-nos relatos de utentes que receberam chamadas a cancelar consultas e agora vêem que essa chamada foi indicada na sua ficha como tele consulta. É assim que se aumentaram os números de tele consulta em 124%? Se pretendemos um modelo de saúde de prevenção com a base nos cuidados primários de saúde, este não é o caminho que estamos a seguir. Quantas doenças ficaram por diagnosticar neste primeiro semestre de 2020? Em que números páram as listas de espera do SESARAM?", lançou no ar estas questões. Esta comissão terminou dizendo que "ficará a aguardar a cooperação da Secretaria de Saúde em facultar os dados".