Covid-19: África do Sul regista 23 novos casos em menos de dois dias

As autoridades de Saúde da África do Sul anunciaram hoje 23 novos casos de infeção pelo novo coronavírus em menos de dois dias, elevando agora para 85 o total de casos positivos no país. "O Instituto de Doenças Transmissíveis (NICD, na sigla em inglês) confirma que há 23 novos casos de Covid-19 que testaram positivo o SARS-CoV-2", anunciou a instituição em comunicado divulgado hoje no sítio oficial de internet. "Até 17 de março de 2020, foram testados um total de 2.911 casos suspeitos de Covid-19 por laboratórios públicos e privados, dos quais 85 são positivos", adianta a nota. Na segunda-feira, as autoridades sul-africanas haviam confirmado 62 casos de infeção pelo novo coronavírus no país. O NICD refere no comunicado que "a província de Gauteng, envolvente a Joanesburgo e Pretória, regista a maioria dos casos (45) até agora, seguida da província de Western Cape (16)". "Entre os 23 novos casos de infeção, estão oito casos transmitidos localmente sem histórico de viagens ao estrangeiro, sendo quatro na província de Gauteng; três na província de KwaZulu-Natal [que faz fronteira com Moçambique], e um na província de Western Cape", lê-se na nota. De acordo com as autoridades de Saúde sul-africanas, entre os novos casos de infeção anunciados, contam-se quatro crianças com idades compreendidas entre 2 e 5 anos que contraíram o Covid-19, no KwaZulu-Natal (2) e na província de Western Cape (2). Das quatro crianças, apenas uma, de três anos, viajou ao estrangeiro, nomeadamente ao Reino Unido. Este caso foi identificado no Western Cape. Além de Gauteng e Western Cape, o Instituto de Doenças Transmissíveis não se refere no comunicado ao ponto de situação atual do Covid-19 nas restantes províncias do país. A informação foi divulgada 48 horas depois de o Presidente da República anunciar o encerramento parcial das fronteiras do país no domingo. O chefe de Estado apelou aos cidadãos para não viajarem para o estrangeiro e outras províncias do país. O Governo ativou o estado de desastre nacional, que antecede o estado de emergência, com medidas de segurança e de saúde sem precedentes para contrariar a pandemia do novo coronavírus. O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 já infetou mais de 189 mil pessoas a nível mundial, das quais mais de 7.800 morreram. Das pessoas infetadas em todo o mundo, mais de 81 mil recuperaram da doença. O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se por mais de 146 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia. Os países mais afetados depois da China são a Itália, com 2.503 mortes para 31.506 casos, o Irão, com 988 mortes (16.169 casos), a Espanha, com 491 mortes (11.178 casos) e a França com 148 mortes (6.633 casos). Face ao avanço da pandemia, vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras. Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou terça-feira o número de casos confirmados de infeção para 448, mais 117 do que na segunda-feira, dia em que se registou a primeira morte no país.

Covid-19: África do Sul regista 23 novos casos em menos de dois dias
As autoridades de Saúde da África do Sul anunciaram hoje 23 novos casos de infeção pelo novo coronavírus em menos de dois dias, elevando agora para 85 o total de casos positivos no país. "O Instituto de Doenças Transmissíveis (NICD, na sigla em inglês) confirma que há 23 novos casos de Covid-19 que testaram positivo o SARS-CoV-2", anunciou a instituição em comunicado divulgado hoje no sítio oficial de internet. "Até 17 de março de 2020, foram testados um total de 2.911 casos suspeitos de Covid-19 por laboratórios públicos e privados, dos quais 85 são positivos", adianta a nota. Na segunda-feira, as autoridades sul-africanas haviam confirmado 62 casos de infeção pelo novo coronavírus no país. O NICD refere no comunicado que "a província de Gauteng, envolvente a Joanesburgo e Pretória, regista a maioria dos casos (45) até agora, seguida da província de Western Cape (16)". "Entre os 23 novos casos de infeção, estão oito casos transmitidos localmente sem histórico de viagens ao estrangeiro, sendo quatro na província de Gauteng; três na província de KwaZulu-Natal [que faz fronteira com Moçambique], e um na província de Western Cape", lê-se na nota. De acordo com as autoridades de Saúde sul-africanas, entre os novos casos de infeção anunciados, contam-se quatro crianças com idades compreendidas entre 2 e 5 anos que contraíram o Covid-19, no KwaZulu-Natal (2) e na província de Western Cape (2). Das quatro crianças, apenas uma, de três anos, viajou ao estrangeiro, nomeadamente ao Reino Unido. Este caso foi identificado no Western Cape. Além de Gauteng e Western Cape, o Instituto de Doenças Transmissíveis não se refere no comunicado ao ponto de situação atual do Covid-19 nas restantes províncias do país. A informação foi divulgada 48 horas depois de o Presidente da República anunciar o encerramento parcial das fronteiras do país no domingo. O chefe de Estado apelou aos cidadãos para não viajarem para o estrangeiro e outras províncias do país. O Governo ativou o estado de desastre nacional, que antecede o estado de emergência, com medidas de segurança e de saúde sem precedentes para contrariar a pandemia do novo coronavírus. O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 já infetou mais de 189 mil pessoas a nível mundial, das quais mais de 7.800 morreram. Das pessoas infetadas em todo o mundo, mais de 81 mil recuperaram da doença. O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se por mais de 146 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia. Os países mais afetados depois da China são a Itália, com 2.503 mortes para 31.506 casos, o Irão, com 988 mortes (16.169 casos), a Espanha, com 491 mortes (11.178 casos) e a França com 148 mortes (6.633 casos). Face ao avanço da pandemia, vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras. Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou terça-feira o número de casos confirmados de infeção para 448, mais 117 do que na segunda-feira, dia em que se registou a primeira morte no país.