Covid-19: Alemanha ultrapassa os 10 mil casos no país

A Alemanha ultrapassou hoje a barreira dos 10 mil casos, ao registar mais 2.801 que na quarta-feira, segundo números oficiais, divulgados pelo Instituto Robert Koch, entidade responsável pela prevenção e controlo de doenças. O país tem agora 10.999 casos confirmados do novo coronavírus e são 20 as vítimas mortais registadas, a maioria nos Estados federados da Baviera, da Renânia do Norte-Vestefália e de Bade-Vurtemberga, os mais afetados. A chanceler Angela Merkel anunciou na passada segunda-feira um novo pacote de medidas, que se juntam ao encerramento das escolas e jardins-de-infância de todo o país, pelo menos até 19 de abril. Incluem-se o fecho de bares, cafés e 'pubs', assim como de todas as salas de espetáculo e parques infantis. O Instituto Robert Koch alertou que, se as medidas não forem cumpridas, em dois ou três meses poderá haver 10 milhões de casos de Covid-19 no país.  O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 210 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.750 morreram. Das pessoas infetadas, mais de 84.000 recuperaram da doença. A China anunciou hoje não ter registado novas infeções locais nas últimas 24 horas, o que acontece pela primeira vez desde o início da pandemia. No entanto registou 34 novos casos importados. O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se já por 173 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia. No total, desde o início do surto, em dezembro passado, as autoridades da China continental, que exclui Macau e Hong Kong, contabilizaram 80.894 infeções diagnosticadas, incluindo 69.614 casos que já recuperaram, enquanto o total de mortos se fixou nos 3.237. O número de infetados ativos no país fixou-se em 8.043, incluindo 2.622 em estado grave. Os países mais afetados depois da China são a Itália, com 2.978 mortes em 35.713 casos, o Irão, com 1.135 mortes (17.361 casos), a Espanha, com 638 mortes (14.769 casos) e a França com 264 mortes (9.134 casos). Face ao avanço da pandemia, vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Covid-19: Alemanha ultrapassa os 10 mil casos no país
A Alemanha ultrapassou hoje a barreira dos 10 mil casos, ao registar mais 2.801 que na quarta-feira, segundo números oficiais, divulgados pelo Instituto Robert Koch, entidade responsável pela prevenção e controlo de doenças. O país tem agora 10.999 casos confirmados do novo coronavírus e são 20 as vítimas mortais registadas, a maioria nos Estados federados da Baviera, da Renânia do Norte-Vestefália e de Bade-Vurtemberga, os mais afetados. A chanceler Angela Merkel anunciou na passada segunda-feira um novo pacote de medidas, que se juntam ao encerramento das escolas e jardins-de-infância de todo o país, pelo menos até 19 de abril. Incluem-se o fecho de bares, cafés e 'pubs', assim como de todas as salas de espetáculo e parques infantis. O Instituto Robert Koch alertou que, se as medidas não forem cumpridas, em dois ou três meses poderá haver 10 milhões de casos de Covid-19 no país.  O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 210 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.750 morreram. Das pessoas infetadas, mais de 84.000 recuperaram da doença. A China anunciou hoje não ter registado novas infeções locais nas últimas 24 horas, o que acontece pela primeira vez desde o início da pandemia. No entanto registou 34 novos casos importados. O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se já por 173 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia. No total, desde o início do surto, em dezembro passado, as autoridades da China continental, que exclui Macau e Hong Kong, contabilizaram 80.894 infeções diagnosticadas, incluindo 69.614 casos que já recuperaram, enquanto o total de mortos se fixou nos 3.237. O número de infetados ativos no país fixou-se em 8.043, incluindo 2.622 em estado grave. Os países mais afetados depois da China são a Itália, com 2.978 mortes em 35.713 casos, o Irão, com 1.135 mortes (17.361 casos), a Espanha, com 638 mortes (14.769 casos) e a França com 264 mortes (9.134 casos). Face ao avanço da pandemia, vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.