Covid-19: China exportou mais de 200 mil milhões de máscaras no ano passado

A China exportou cerca de 220 mil milhões de máscaras cirúrgicas, no ano passado, disse hoje o Ministério do Comércio, face à forte procura mundial por produtos médicos para lidar com a pandemia da covid-19. Este número corresponde a 40 máscaras por cada pessoa a viver fora da China. O país asiático foi o primeiro a ser atingido pelo novo coronavírus, mas rapidamente retornou à normalidade, após adotar fortes medidas de prevenção contra a doença, estabelecendo-se de seguida como o principal fabricante de máscaras do mundo. Pequim não hesitou em usar doações como ferramenta diplomática, divulgando-as amplamente fora e dentro do país. A China também exportou 2,3 mil milhões de fatos de proteção e mil milhões de testes contra o vírus, disse o vice-ministro do Comércio, Qian Keming, em conferência de imprensa. Para a China, esta foi uma "contribuição importante para a luta global contra a epidemia", notou. A economia chinesa cresceu 2,3%, no ano passado, impulsionada em grande parte pela produção de equipamentos contra a covid-19. A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.176.000 mortos resultantes de mais de 100 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Covid-19: China exportou mais de 200 mil milhões de máscaras no ano passado
A China exportou cerca de 220 mil milhões de máscaras cirúrgicas, no ano passado, disse hoje o Ministério do Comércio, face à forte procura mundial por produtos médicos para lidar com a pandemia da covid-19. Este número corresponde a 40 máscaras por cada pessoa a viver fora da China. O país asiático foi o primeiro a ser atingido pelo novo coronavírus, mas rapidamente retornou à normalidade, após adotar fortes medidas de prevenção contra a doença, estabelecendo-se de seguida como o principal fabricante de máscaras do mundo. Pequim não hesitou em usar doações como ferramenta diplomática, divulgando-as amplamente fora e dentro do país. A China também exportou 2,3 mil milhões de fatos de proteção e mil milhões de testes contra o vírus, disse o vice-ministro do Comércio, Qian Keming, em conferência de imprensa. Para a China, esta foi uma "contribuição importante para a luta global contra a epidemia", notou. A economia chinesa cresceu 2,3%, no ano passado, impulsionada em grande parte pela produção de equipamentos contra a covid-19. A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.176.000 mortos resultantes de mais de 100 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.