Covid-19: Espanha compra à China 432 milhões em equipamentos médicos

 A Espanha assinou um contrato de 432 milhões de euros com a China para a compra de equipamentos médicos, incluindo 550 milhões de máscaras, 950 respiradores, 5,5 milhões de testes rápidos de coronavírus e 11 milhões de luvas. O ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, vez o anúncio hoje numa conferência de imprensa em que também sublinhou que "não houve qualquer confiscação ou retenção de materiais, nem haverá", e que o Governo "continuará a apoiar" todas as ações de compra realizadas pelas várias comunidades autónomas. Salvador Illa respondia assim às críticas à falta de material e atraso na sua distribuição por parte do Governo nacional às comunidades autónomas, que em Espanha têm autonomia e competências particulares no que diz respeito à política de saúde. O número de mortos em Espanha devido à pandemia de covid-19 ultrapassou hoje o da China continental, com um total de 3.434 vítimas mortais, segundo a atualização diária feita pelas autoridades de saúde do país. De acordo com os números do Ministério da Saúde, Espanha registou, nas últimas 24 horas, 738 mortos com o novo coronavírus e um aumento de 7.937 no número de infetados. Desde o início da pandemia, o país teve um total de 47.610 casos de covid-19, dos quais 3.434 morreram e 5.367 tiveram alta e são considerados como curados. Na totalidade do país, há 26.960 pessoas hospitalizadas, das quais 3.166 em unidades de cuidados intensivos. O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 428 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 19.000. Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia. O continente europeu, com mais de 226.000 casos, é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 6.820 mortos em 69.176 casos registados até terça-feira.

Covid-19: Espanha compra à China 432 milhões em equipamentos médicos
 A Espanha assinou um contrato de 432 milhões de euros com a China para a compra de equipamentos médicos, incluindo 550 milhões de máscaras, 950 respiradores, 5,5 milhões de testes rápidos de coronavírus e 11 milhões de luvas. O ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, vez o anúncio hoje numa conferência de imprensa em que também sublinhou que "não houve qualquer confiscação ou retenção de materiais, nem haverá", e que o Governo "continuará a apoiar" todas as ações de compra realizadas pelas várias comunidades autónomas. Salvador Illa respondia assim às críticas à falta de material e atraso na sua distribuição por parte do Governo nacional às comunidades autónomas, que em Espanha têm autonomia e competências particulares no que diz respeito à política de saúde. O número de mortos em Espanha devido à pandemia de covid-19 ultrapassou hoje o da China continental, com um total de 3.434 vítimas mortais, segundo a atualização diária feita pelas autoridades de saúde do país. De acordo com os números do Ministério da Saúde, Espanha registou, nas últimas 24 horas, 738 mortos com o novo coronavírus e um aumento de 7.937 no número de infetados. Desde o início da pandemia, o país teve um total de 47.610 casos de covid-19, dos quais 3.434 morreram e 5.367 tiveram alta e são considerados como curados. Na totalidade do país, há 26.960 pessoas hospitalizadas, das quais 3.166 em unidades de cuidados intensivos. O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 428 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 19.000. Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia. O continente europeu, com mais de 226.000 casos, é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 6.820 mortos em 69.176 casos registados até terça-feira.