Covid-19: EUA registam recorde diário de 884 mortos e 25.200 casos

Os Estados Unidos registaram esta quarta-feira um novo recorde diário de 884 mortes e de 25.200 pessoas infetadas, de acordo com uma contagem efetuada pela Universidade Johns Hopkins. Esta forte aceleração eleva para 4.475 o número total de mortes desde o início da pandemia no país. Os Estados Unidos também são, de longe, o país do mundo com o maior número de casos registados (213.372), ainda de acordo com a universidade, que atualiza continuamente os dados. O número recorde de mortes em 24 horas foi observado a 27 de março na Itália (969 mortes). O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 905 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 46 mil. Dos casos de infeção, pelo menos 176.500 são considerados curados. Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia. O continente europeu, com mais de 490 mil infetados e cerca de 33.000 mortos, é aquele onde se regista o maior número de casos.

Covid-19: EUA registam recorde diário de 884 mortos e 25.200 casos
Os Estados Unidos registaram esta quarta-feira um novo recorde diário de 884 mortes e de 25.200 pessoas infetadas, de acordo com uma contagem efetuada pela Universidade Johns Hopkins. Esta forte aceleração eleva para 4.475 o número total de mortes desde o início da pandemia no país. Os Estados Unidos também são, de longe, o país do mundo com o maior número de casos registados (213.372), ainda de acordo com a universidade, que atualiza continuamente os dados. O número recorde de mortes em 24 horas foi observado a 27 de março na Itália (969 mortes). O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 905 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 46 mil. Dos casos de infeção, pelo menos 176.500 são considerados curados. Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia. O continente europeu, com mais de 490 mil infetados e cerca de 33.000 mortos, é aquele onde se regista o maior número de casos.