Covid-19: Liga quer evitar aglomerações junto de estádios em jogos à porta fechada

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) disse hoje que quer concluir as competições nacionais, nem que seja à porta fechada, e alertou para a necessidade de evitar aglomerações de adeptos junto dos estádios nesse cenário. Através de uma reunião por videoconferência, o organismo, que rege os campeonatos profissionais da I e II Liga, debateu com a Associação Portuguesa de Defesa dos Adeptos (APDA) os “diferentes cenários” relativamente à retoma das competições, salientando "as razões da importância da conclusão da época desportiva ainda que [impliquem] condicionalismos como sejam a realização de jogos à porta fechada". Ressalvando que essa decisão caberá às “autoridades governamentais e de saúde”, a Liga alertou para "a necessidade de um trabalho conjunto entre as instituições para que, em caso de realização de jogos à porta fechada, se evitem aglomerações massivas de adeptos nas imediações e à porta dos estádios". No comunicado divulgado, o organismo dá conta do apelo da APDA para que sejam solicitadas “condições especiais” junto dos operadores televisivos durante o eventual período de encontros sem público. “A Liga Portugal registou todas as preocupações e propostas apresentadas pela APDA, comprometendo-se a levar as mesmas aos seus grupos de trabalho com os clubes, ficando desde já acordado que as duas instituições se manterão em contacto permanente sobre o desenvolvimento das diferentes matérias”, pode ler-se na nota. As competições profissionais, I Liga e II Liga, estão suspensas desde 12 de março, após 24 das 34 jornadas – com o FC Porto na liderança, com um ponto de vantagem sobre o campeão Benfica –, bem como a Taça de Portugal, que tem Benfica e FC Porto como finalistas.

Covid-19: Liga quer evitar aglomerações junto de estádios em jogos à porta fechada
A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) disse hoje que quer concluir as competições nacionais, nem que seja à porta fechada, e alertou para a necessidade de evitar aglomerações de adeptos junto dos estádios nesse cenário. Através de uma reunião por videoconferência, o organismo, que rege os campeonatos profissionais da I e II Liga, debateu com a Associação Portuguesa de Defesa dos Adeptos (APDA) os “diferentes cenários” relativamente à retoma das competições, salientando "as razões da importância da conclusão da época desportiva ainda que [impliquem] condicionalismos como sejam a realização de jogos à porta fechada". Ressalvando que essa decisão caberá às “autoridades governamentais e de saúde”, a Liga alertou para "a necessidade de um trabalho conjunto entre as instituições para que, em caso de realização de jogos à porta fechada, se evitem aglomerações massivas de adeptos nas imediações e à porta dos estádios". No comunicado divulgado, o organismo dá conta do apelo da APDA para que sejam solicitadas “condições especiais” junto dos operadores televisivos durante o eventual período de encontros sem público. “A Liga Portugal registou todas as preocupações e propostas apresentadas pela APDA, comprometendo-se a levar as mesmas aos seus grupos de trabalho com os clubes, ficando desde já acordado que as duas instituições se manterão em contacto permanente sobre o desenvolvimento das diferentes matérias”, pode ler-se na nota. As competições profissionais, I Liga e II Liga, estão suspensas desde 12 de março, após 24 das 34 jornadas – com o FC Porto na liderança, com um ponto de vantagem sobre o campeão Benfica –, bem como a Taça de Portugal, que tem Benfica e FC Porto como finalistas.