Covid-19: México regista 290 mortos e 2.437 infetados nas últimas 24 horas

O México registou 290 mortos e 2.437 infetados nas últimas 24 horas, elevando para 4.767 o número de óbitos e para 45.032 o total de contágios com a covid-19, segundo dados oficiais. "Este é o segundo dia consecutivo que temos mais de 2.400 casos em 24 horas", salientou o diretor de Epidemiologia do Governo do México, José Luis Alomía, ao apresentar nesta sexta-feira o relatório técnico do coronavírus no país. A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 306 mil mortos e infetou perto de 4,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,5 milhões de doentes foram considerados curados. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China. Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano passou agora a ser o que tem mais casos confirmados, embora com menos mortes. Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), paralisando setores inteiros da economia mundial, num “grande confinamento” que vários países já começaram a aliviar face à diminuição dos novos contágios.

O México registou 290 mortos e 2.437 infetados nas últimas 24 horas, elevando para 4.767 o número de óbitos e para 45.032 o total de contágios com a covid-19, segundo dados oficiais. "Este é o segundo dia consecutivo que temos mais de 2.400 casos em 24 horas", salientou o diretor de Epidemiologia do Governo do México, José Luis Alomía, ao apresentar nesta sexta-feira o relatório técnico do coronavírus no país. A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 306 mil mortos e infetou perto de 4,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,5 milhões de doentes foram considerados curados. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China. Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano passou agora a ser o que tem mais casos confirmados, embora com menos mortes. Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), paralisando setores inteiros da economia mundial, num “grande confinamento” que vários países já começaram a aliviar face à diminuição dos novos contágios.