Covid-19: Multa de 200 euros para quem quebrar quarentena em França

A multa para quem sair de casa sem justificação considerada válida durante um controlo policial em França duas vezes seguidas sobe para 200 euros, segundo um novo decreto publicado hoje, no âmbito da pandemia covid-19, pelas autoridades gaulesas. A multa inicial para quem saia de casa sem justificação ou com uma justificação não válida continua a ser de 135 euros, mas no segundo controlo passa para 200 euros. Caso esta segunda multa não seja paga no espaço de 15 dias, sobe para 400 euros. Quando se acumulem quatro infrações à quarentena, os franceses incorrem numa pena de prisão de seis meses e uma multa que pode chegar aos 3.750 euros. Para circular na via pública, os franceses precisam de se fazer acompanhar de uma declaração, disponível no ‘site’ do ministério do Interior, que eles próprios preenchem e onde justificam a saída, declarando por sua honra que não estão a violar as regras em vigor, e que terão de mostrar se abordados pelas autoridades. Os motivos para saídas autorizadas são: trabalho, compras de bens essenciais, assistência à família, saídas curtas para exercício físico num raio de um quilómetro da residência, idas ao médico em caso de urgência e intimação das autoridades. As justificações são verificadas em permanência pela polícia e polícia militar, destacadas para manter em vigor as regras de quarentena impostas pelo Governo. Dentro e fora das cidades, a polícia montou pontos de controlo mandando parar pessoas e viaturas aleatoriamente. O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 667 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 31.000. Os países mais afetados a seguir a Itália, Espanha e China são o Irão, com 2.640 mortes reportadas (38.309 casos), a França, com 2.314 mortes (37.575 casos) e os Estados Unidos com 2.191 mortes. Na Alemanha existem mais de 50 mil pessoas infetadas e registaram-se 389 vítimas mortais.

Covid-19: Multa de 200 euros para quem quebrar quarentena em França
A multa para quem sair de casa sem justificação considerada válida durante um controlo policial em França duas vezes seguidas sobe para 200 euros, segundo um novo decreto publicado hoje, no âmbito da pandemia covid-19, pelas autoridades gaulesas. A multa inicial para quem saia de casa sem justificação ou com uma justificação não válida continua a ser de 135 euros, mas no segundo controlo passa para 200 euros. Caso esta segunda multa não seja paga no espaço de 15 dias, sobe para 400 euros. Quando se acumulem quatro infrações à quarentena, os franceses incorrem numa pena de prisão de seis meses e uma multa que pode chegar aos 3.750 euros. Para circular na via pública, os franceses precisam de se fazer acompanhar de uma declaração, disponível no ‘site’ do ministério do Interior, que eles próprios preenchem e onde justificam a saída, declarando por sua honra que não estão a violar as regras em vigor, e que terão de mostrar se abordados pelas autoridades. Os motivos para saídas autorizadas são: trabalho, compras de bens essenciais, assistência à família, saídas curtas para exercício físico num raio de um quilómetro da residência, idas ao médico em caso de urgência e intimação das autoridades. As justificações são verificadas em permanência pela polícia e polícia militar, destacadas para manter em vigor as regras de quarentena impostas pelo Governo. Dentro e fora das cidades, a polícia montou pontos de controlo mandando parar pessoas e viaturas aleatoriamente. O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 667 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 31.000. Os países mais afetados a seguir a Itália, Espanha e China são o Irão, com 2.640 mortes reportadas (38.309 casos), a França, com 2.314 mortes (37.575 casos) e os Estados Unidos com 2.191 mortes. Na Alemanha existem mais de 50 mil pessoas infetadas e registaram-se 389 vítimas mortais.