Covid-19: Nova Iorque aconselha cidadãos a tapar boca e nariz nas ruas

O presidente da Câmara de Nova Iorque, Bill de Blasio, aconselhou na quinta-feira os mais de oito milhões de habitantes a taparem a boca e o nariz com material feito de pano ou papel quando andarem na rua. "A razão para esta recomendação é porque estudos estão a revelar que algumas pessoas assintomáticas e pré-sintomáticas estarão a transmitir a doença [da covid-19]. Não temos evidências perfeitas (...), mas parece cada vez mais evidente", adiantou, por seu lado, o governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, citado pela agência Efe. A nova medida, defendida pelos responsáveis máximos de Nova Iorque, complementa as medidas antes recomendadas de manter uma distância social de dois metros, lavar as mãos com sabão por 20 segundos, tossir ou espirrar no canto interno do cotovelo e sair apenas por razões estritamente necessárias. Estes conselhos das autoridades são constantemente lembrados aos cidadãos através de anúncios e letreiros luminosos, bem como pelas saídas de som do metropolitano da cidade, quer em inglês, quer em espanhol. "Quando você coloca essa máscara, está a ajudar os outros", realçou Bill de Blasio, numa altura em que cidade de Nova Iorque, com 51.809 casos de infeção pela covid-19, tornou-se no epicentro global da pandemia. Também a comissário de saúde da Câmara de Nova Iorque, Oxiris Barbot, insistiu que o objetivo do apelo feito por Bill de Blasio é, por um lado, impedir que as pessoas que não apresentem sintomas ou aquelas cuja doença está numa primeira fase transmitam a doença a outras quando saem à ruas e, em segundo lugar, servir “como lembrete para se manter a distância social recomendada”. A médica alertou que, após cada utilização, as peças para tapar boca e nariz devem ser lavadas com água e sabão, não devendo ser partilhadas nem usadas se estiverem húmidas. Recomendou, por isso, que cada cidadão tenha pelo menos dois jogos, para usá-los de forma alternada. Bill de Blasio disse ainda que, a partir de hoje, os 431 centros espalhados por toda a cidade que ofereciam comida a crianças ou ajuda alimentar nas escolas - antes de terem encerrado – irão agora começar a entregar comida a todos os adultos que o peçam. “Mais e mais pessoas precisam de comida e todos os que precisam de ajuda terão essa ajuda", prometeu Blasio. Entretanto, foi pedido às autoridades federais entre 2.500 a 3.500 ventiladores até à próxima semana, com vista a colmatar as necessidades médicas da cidade. “Trata-se de uma necessidade nacional encontrar ventiladores e trazê-los para Nova Iorque”, reconheceu Bill de Blasio, revelando ter falado com o Presidente do país, Donald Trump, sobre a necessidade de a cidade ter camas, material e pessoal sanitário para enfrentar a crise sanitária. Dados oficiais sobre a pandemia a nível mundial indicam que os Estados Unidos são o que contabiliza mais infetados (234.462). Quanto ao número de mortos, depois da Itália, Espanha e China, surgem os Estados Unidos, com 5.607 mortes.

Covid-19: Nova Iorque aconselha cidadãos a tapar boca e nariz nas ruas
O presidente da Câmara de Nova Iorque, Bill de Blasio, aconselhou na quinta-feira os mais de oito milhões de habitantes a taparem a boca e o nariz com material feito de pano ou papel quando andarem na rua. "A razão para esta recomendação é porque estudos estão a revelar que algumas pessoas assintomáticas e pré-sintomáticas estarão a transmitir a doença [da covid-19]. Não temos evidências perfeitas (...), mas parece cada vez mais evidente", adiantou, por seu lado, o governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, citado pela agência Efe. A nova medida, defendida pelos responsáveis máximos de Nova Iorque, complementa as medidas antes recomendadas de manter uma distância social de dois metros, lavar as mãos com sabão por 20 segundos, tossir ou espirrar no canto interno do cotovelo e sair apenas por razões estritamente necessárias. Estes conselhos das autoridades são constantemente lembrados aos cidadãos através de anúncios e letreiros luminosos, bem como pelas saídas de som do metropolitano da cidade, quer em inglês, quer em espanhol. "Quando você coloca essa máscara, está a ajudar os outros", realçou Bill de Blasio, numa altura em que cidade de Nova Iorque, com 51.809 casos de infeção pela covid-19, tornou-se no epicentro global da pandemia. Também a comissário de saúde da Câmara de Nova Iorque, Oxiris Barbot, insistiu que o objetivo do apelo feito por Bill de Blasio é, por um lado, impedir que as pessoas que não apresentem sintomas ou aquelas cuja doença está numa primeira fase transmitam a doença a outras quando saem à ruas e, em segundo lugar, servir “como lembrete para se manter a distância social recomendada”. A médica alertou que, após cada utilização, as peças para tapar boca e nariz devem ser lavadas com água e sabão, não devendo ser partilhadas nem usadas se estiverem húmidas. Recomendou, por isso, que cada cidadão tenha pelo menos dois jogos, para usá-los de forma alternada. Bill de Blasio disse ainda que, a partir de hoje, os 431 centros espalhados por toda a cidade que ofereciam comida a crianças ou ajuda alimentar nas escolas - antes de terem encerrado – irão agora começar a entregar comida a todos os adultos que o peçam. “Mais e mais pessoas precisam de comida e todos os que precisam de ajuda terão essa ajuda", prometeu Blasio. Entretanto, foi pedido às autoridades federais entre 2.500 a 3.500 ventiladores até à próxima semana, com vista a colmatar as necessidades médicas da cidade. “Trata-se de uma necessidade nacional encontrar ventiladores e trazê-los para Nova Iorque”, reconheceu Bill de Blasio, revelando ter falado com o Presidente do país, Donald Trump, sobre a necessidade de a cidade ter camas, material e pessoal sanitário para enfrentar a crise sanitária. Dados oficiais sobre a pandemia a nível mundial indicam que os Estados Unidos são o que contabiliza mais infetados (234.462). Quanto ao número de mortos, depois da Itália, Espanha e China, surgem os Estados Unidos, com 5.607 mortes.