Covid-19: Número de mortes no Reino Unido sextuplicou numa semana

O número de mortes causadas pela covid-19 no Reino Unido sextuplicou numa semana, para 335, de acordo com os dados publicados pelo Ministério da Saúde britânico.  O balanço mais recente das autoridades britânicas indica que o número de pessoas infetadas pela covid-19 aumentou para 6.650 no Reino Unido, das quais 335 morreram. Na segunda-feira passada, 16 de março, estavam diagnosticados 1.543 casos positivos entre 44.105 pessoas testadas e 55 óbitos.  Hoje, o governo voltou a fazer um apelo ao regresso dos britânicos que estão em viagem no estrangeiro perante o anúncio de cancelamento de voos por companhias aéreas, como fez a Emirates esta manhã.  “Estamos a insistir fortemente para que os viajantes do Reino Unido no estrangeiro voltem para casa agora, onde e enquanto ainda houver rotas comerciais para fazê-lo”, vincou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Dominic Raab. O governo britânico já tinha desaconselhado "todas as viagens não essenciais em todo o mundo”, inicialmente por um período de 30 dias, e alertado para os riscos devido às restrições impostas por diversos países. 

Covid-19: Número de mortes no Reino Unido sextuplicou numa semana
O número de mortes causadas pela covid-19 no Reino Unido sextuplicou numa semana, para 335, de acordo com os dados publicados pelo Ministério da Saúde britânico.  O balanço mais recente das autoridades britânicas indica que o número de pessoas infetadas pela covid-19 aumentou para 6.650 no Reino Unido, das quais 335 morreram. Na segunda-feira passada, 16 de março, estavam diagnosticados 1.543 casos positivos entre 44.105 pessoas testadas e 55 óbitos.  Hoje, o governo voltou a fazer um apelo ao regresso dos britânicos que estão em viagem no estrangeiro perante o anúncio de cancelamento de voos por companhias aéreas, como fez a Emirates esta manhã.  “Estamos a insistir fortemente para que os viajantes do Reino Unido no estrangeiro voltem para casa agora, onde e enquanto ainda houver rotas comerciais para fazê-lo”, vincou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Dominic Raab. O governo britânico já tinha desaconselhado "todas as viagens não essenciais em todo o mundo”, inicialmente por um período de 30 dias, e alertado para os riscos devido às restrições impostas por diversos países.