Covid-19: Tripulação easyJet oferece-se para ajudar o serviço nacional de saúde britânico

O serviço nacional de saúde britânico (NHS) pediu voluntários e a tripulação de cabine da easyJet ofereceu a sua ajuda. A partir da próxima semana os membros da tripulação da companhia aérea irão prestar o seu apoio no hospital de campo do NHS ExCeL. A sua tarefa irá consistir em providenciar ajuda vital, como parte do esforço nacional do país, à equipa clínica da linha de frente na luta contra a pandemia da Covid-19. Aqueles que se inscreverem desempenharão funções de apoio clínico aos enfermeiros e clínicos nas enfermarias dos hospitais do NHS, que estão a ser construídos em Londres, Birmingham e Manchester. Os colaboradores das companhias aéreas são voluntários ideais, uma vez que têm cursos de primeiros socorros e possuem outras qualificações médicas e de segurança, necessárias para cumprir estas funções. Na prática vão trocar as camas, cuidar dos pacientes e garantir que estes estejam o mais confortável possível. Com a maioria dos vôos atualmente suspensos como resultado da pandemia, a tripulação de cabine pode usar suas capacidades únicas durante esse período para fornecer o apoio necessário ao NHS. A easyJet possui cerca de 4.000 tripulantes de cabine no Reino Unido nas 11 bases da easyJet no Reino Unido.

Covid-19: Tripulação easyJet oferece-se para ajudar o serviço nacional de saúde britânico
O serviço nacional de saúde britânico (NHS) pediu voluntários e a tripulação de cabine da easyJet ofereceu a sua ajuda. A partir da próxima semana os membros da tripulação da companhia aérea irão prestar o seu apoio no hospital de campo do NHS ExCeL. A sua tarefa irá consistir em providenciar ajuda vital, como parte do esforço nacional do país, à equipa clínica da linha de frente na luta contra a pandemia da Covid-19. Aqueles que se inscreverem desempenharão funções de apoio clínico aos enfermeiros e clínicos nas enfermarias dos hospitais do NHS, que estão a ser construídos em Londres, Birmingham e Manchester. Os colaboradores das companhias aéreas são voluntários ideais, uma vez que têm cursos de primeiros socorros e possuem outras qualificações médicas e de segurança, necessárias para cumprir estas funções. Na prática vão trocar as camas, cuidar dos pacientes e garantir que estes estejam o mais confortável possível. Com a maioria dos vôos atualmente suspensos como resultado da pandemia, a tripulação de cabine pode usar suas capacidades únicas durante esse período para fornecer o apoio necessário ao NHS. A easyJet possui cerca de 4.000 tripulantes de cabine no Reino Unido nas 11 bases da easyJet no Reino Unido.