Debate JM: “Há sempre lugar para o ensino politécnico”

Jesus Maria Sousa é a favor do ensino politécnico na UMa, apesar de reconhecer que tem havido falhas devido ao financiamento para construção de infraestruturas, modernização administrativa e informação digital. O “braço de ferro” entre governos que impediu que a UMa concorresse a apoios estruturais deve ser ultrapassado no próximo quadro comunitário. Voltou a insistir no papel político que o reitor deve ter, de “dar o corpo ao manifesto e de ter um papel de estadista na defesa da sua universidade”. A seu ver, “há sempre lugar para o politécnico conferindo a mesma dignidade académica aos dois subsistemas, politécnico e universitário”.

Debate JM: “Há sempre lugar para o ensino politécnico”
Jesus Maria Sousa é a favor do ensino politécnico na UMa, apesar de reconhecer que tem havido falhas devido ao financiamento para construção de infraestruturas, modernização administrativa e informação digital. O “braço de ferro” entre governos que impediu que a UMa concorresse a apoios estruturais deve ser ultrapassado no próximo quadro comunitário. Voltou a insistir no papel político que o reitor deve ter, de “dar o corpo ao manifesto e de ter um papel de estadista na defesa da sua universidade”. A seu ver, “há sempre lugar para o politécnico conferindo a mesma dignidade académica aos dois subsistemas, politécnico e universitário”.