Debate JM: "O que está a acontecer com a professora Liliana é uma vergonha"

Instada a comentar a polémica em torno do concurso para Professor Associado na Universidade da Madeira, que a ex-Eurodeputada Liliana Rodrigues ganhou com vantagem substancial e está em fase de reclamação há quase três meses, a candidata Jesus Maria Sousa afirmou: "Em todos os concursos há sempre recursos, há sempre impugnação, há a fase da audiência prévia. Desde a impugnação de um concurso, perante a qual o júri deliberou pedir informações, essas informações foram solicitadas, a lesada tem que ter direito à defesa, foi-lhe dado um período de 10 dias para a sua defesa. Isso foi em agosto. Desde agosto, até agora, têm deixado uma candidata completamente abandonada".  "Penso que há falta de cultura jurídica. O presidente faz parte do júri que vai julgar, não pode ser ao mesmo tempo a PJ ou o juiz de instrução criminal. O que está a acontecer com a professora Liliana é uma vergonha", criticou a docente.  Já Sílvio Fernandes não se quis pronunciar sobre a situação. 

Debate JM: "O que está a acontecer com a professora Liliana é uma vergonha"
Instada a comentar a polémica em torno do concurso para Professor Associado na Universidade da Madeira, que a ex-Eurodeputada Liliana Rodrigues ganhou com vantagem substancial e está em fase de reclamação há quase três meses, a candidata Jesus Maria Sousa afirmou: "Em todos os concursos há sempre recursos, há sempre impugnação, há a fase da audiência prévia. Desde a impugnação de um concurso, perante a qual o júri deliberou pedir informações, essas informações foram solicitadas, a lesada tem que ter direito à defesa, foi-lhe dado um período de 10 dias para a sua defesa. Isso foi em agosto. Desde agosto, até agora, têm deixado uma candidata completamente abandonada".  "Penso que há falta de cultura jurídica. O presidente faz parte do júri que vai julgar, não pode ser ao mesmo tempo a PJ ou o juiz de instrução criminal. O que está a acontecer com a professora Liliana é uma vergonha", criticou a docente.  Já Sílvio Fernandes não se quis pronunciar sobre a situação.