Embaixador na Venezuela pede que se cumpram “normas de isolamento social”

O Embaixador de Portugal na Venezuela, Carlos de Sousa Amaro, deixou uma mensagem de apoio e de apelo a todos os emigrantes e lusodescendentes na Venezuela, numa curta mensagem de vídeo tornada pública. “Sei que passamos por uma situação difícil. Principalmente vós que tendes o coração partido por duas pátrias amadas, Venezuela e Portugal, ambas lutando contra esta pandemia mundial”, disse o Embaixador. Carlos de Sousa Amaro, deixou, em seguida, um apelo à prevenção. “Não havendo ainda cura, e lá chegaremos sem dúvida, o segredo é a prevenção, por muito que contrarie o lado afetuoso que caracteriza portugueses e venezuelanos, e por maioria de razão, os lusodescendentes que combinam o melhor dos dois povos. Esta é a altura de nos privarmos dos abraços, do convívio, e de comportamentos de proximidade social, seguros de que os sentimentos que nos unem sairão reforçados depois desta privação”. Por fim, o Embaixador de Portugal em Caracas deixou um pedido de apoio aos mais frágeis, garantido atenção por parte da Embaixada e Consulados Gerais. “Para além do nosso bem-estar, devemos sempre ter em conta os mais frágeis, sejam eles os idosos, ou os que padecem de uma condição médica debilitante, peço-vos por isso, do fundo do coração que observeis as normas de isolamento social e higiene, para esta altura já conhecida de todos e seguros que a Embaixada e Consulados gerais de Caracas e Valência continuam atentos e ao vosso dispor. Pese embora, com as limitações ditadas pela pandemia”. “Deixo-vos um forte abraço, desejando que possamos nos reencontramos todos, sem exceção, num futuro próximo, e trocarmos esses abraços que agora nos ficamos a dever. Até breve e tenham muito cuidado”, despediu-se o Embaixador.  

Embaixador na Venezuela pede que se cumpram “normas de isolamento social”
O Embaixador de Portugal na Venezuela, Carlos de Sousa Amaro, deixou uma mensagem de apoio e de apelo a todos os emigrantes e lusodescendentes na Venezuela, numa curta mensagem de vídeo tornada pública. “Sei que passamos por uma situação difícil. Principalmente vós que tendes o coração partido por duas pátrias amadas, Venezuela e Portugal, ambas lutando contra esta pandemia mundial”, disse o Embaixador. Carlos de Sousa Amaro, deixou, em seguida, um apelo à prevenção. “Não havendo ainda cura, e lá chegaremos sem dúvida, o segredo é a prevenção, por muito que contrarie o lado afetuoso que caracteriza portugueses e venezuelanos, e por maioria de razão, os lusodescendentes que combinam o melhor dos dois povos. Esta é a altura de nos privarmos dos abraços, do convívio, e de comportamentos de proximidade social, seguros de que os sentimentos que nos unem sairão reforçados depois desta privação”. Por fim, o Embaixador de Portugal em Caracas deixou um pedido de apoio aos mais frágeis, garantido atenção por parte da Embaixada e Consulados Gerais. “Para além do nosso bem-estar, devemos sempre ter em conta os mais frágeis, sejam eles os idosos, ou os que padecem de uma condição médica debilitante, peço-vos por isso, do fundo do coração que observeis as normas de isolamento social e higiene, para esta altura já conhecida de todos e seguros que a Embaixada e Consulados gerais de Caracas e Valência continuam atentos e ao vosso dispor. Pese embora, com as limitações ditadas pela pandemia”. “Deixo-vos um forte abraço, desejando que possamos nos reencontramos todos, sem exceção, num futuro próximo, e trocarmos esses abraços que agora nos ficamos a dever. Até breve e tenham muito cuidado”, despediu-se o Embaixador.