Escola do Lombo da Guiné com dois projetos premiados em concurso nacional

No ano letivo transato, a EB1/PE/C do Lombo do Guiné participou num concurso nacional denominado "Prémio ciência na escola - Fundação Ilidio Pinho", com dois projetos e ambos foram premiados, um com o 3º lugar (3000 €), ao nível do 1º ciclo, e...

Escola do Lombo da Guiné com dois projetos premiados em concurso nacional
No ano letivo transato, a EB1/PE/C do Lombo do Guiné participou num concurso nacional denominado "Prémio ciência na escola - Fundação Ilidio Pinho", com dois projetos e ambos foram premiados, um com o 3º lugar (3000 €), ao nível do 1º ciclo, e outro com uma menção honrosa -1500 €(ao nível do pré-escolar), sendo que será a única escola da Madeira a ser distinguida nessa cerimónia.  A escola irá estar na mostra nacional que ainda não tem local e data definidas. Este prémio visa os seguintes objetivos:  Desenvolver vocações e orientar os jovens para as ciências, por forma a que mais e melhores estudantes optassem pela formação superior nessas áreas; Motivar os professores, muitos deles com sólidos conhecimentos científicos, para o ensino experimental, proporcionando-lhes meios para projetos de ensino com sentido de utilidade; Alargar o interesse pelas ciências nas comunidades locais, envolvendo nos projetos as famílias e as empresas;Premiar professores, alunos e escolas pelo trabalho de equipa, dando visibilidade e reconhecimento ao mérito e à qualidade dos projetos apresentados a concurso. Projeto eco-bag "Com este projeto pretendeu-se dar utilidade aos sacos de alimentação seca dos animais (15 a 30 kg) usados em casa, que de outra forma iriam para o lixo comum ou para o embalão. Desta forma, a intenção deste estabelecimento de ensino foi incutir nos alunos a recolha destes sacos e criar o Eco bag (saco de compras). Este tipo de material tem características únicas tais como: durabilidade, resistência, maneabilidade, impermeabilidade e colorido", de acordo com a nota emitida pela escola. Projeto potinhos de amizade "A escolha deste projeto teve por base a continuidade da tradição madeirense de confeccionar doce, como forma de aproveitamento dos excedentes frutícolas e hortícolas. Neste âmbito, este projeto tem na sua génese o aproveitamento de fruta e legumes que abundam no meio em que a nossa escola está inserida, bem como na horta pedagógica/biológica para confeção de doce que será acondicionado em frascos de vidro reutilizados. Para além do exposto, as tampas dos frascos serão devidamente decoradas pelas crianças recorrendo a tecidos e fitas. Posteriormente os frascos serão distribuídos de forma gratuita em unidades de alojamento local", esclarece o comunicado.