Escolas desafiadas a continuarem os bons exemplos em prol do ambiente

Hoje foi dia de celebração para duas escolas da RAM com a cerimónia de hastear da Bandeira Verde. Este trabalho feito pelas escolas com a coordenação da Direção Regional do Ambiente e Alterações Climáticas (DRAAC) é já um símbolo de qualidade...

Escolas desafiadas a continuarem os bons exemplos em prol do ambiente
Hoje foi dia de celebração para duas escolas da RAM com a cerimónia de hastear da Bandeira Verde. Este trabalho feito pelas escolas com a coordenação da Direção Regional do Ambiente e Alterações Climáticas (DRAAC) é já um símbolo de qualidade que vem distinguindo a comunidade educativa há mais de duas décadas. A Escola Básica e Secundária Dr. Ângelo Augusto da Silva participa no Programa Eco-Escolas desde 2008/2009 e esta foi a sua 11.ªa Bandeira Verde. De referir que receberam um certificado de elevada qualidade resultante da visita por pela DRAAC em 2016/2017. O diretor regional do Ambiente e Alterações Climáticas, Ara Oliveira, na sua intervenção reforçou a importância da mensagem e boas práticas na comunidade escolar terem resultados para além dos muros da escola: “Sei que tiveram muitas atividades na escola, mas é fundamental que mudem em casa, na rua. Mensagem difícil de passar. Não digo fazer compreender que há um problema, digo mudar efetivamente de hábitos”, deixando depois o estímulo de que «temos que aprender a dar mais valor ao que a natureza nos dá, a natureza é generosa, mas nós somos muitos. Há coisas que, na verdade, podemos abdicar sem afetar a nossa qualidade de vida, e a natureza, o planeta, agradece”. Aos alunos, Ara Oliveira lembrou que «esta geração é a geração melhor informada de sempre. Mas há um longo caminho a percorrer, acreditando que podemos fazer a diferença. E os nossos pequenos gestos, as nossas pequenas ações, todas somadas fazem efetivamente a diferença.” No Jardim Escola João de Deus houve oportunidade de enaltecer o excelente trabalho que esta escola tem desenvolvido, bem visível no espaço escolar, fruto de uma direção e uma comunidade educativa muito focada e empenhada em ensinar boas práticas, pequenos gestos, e transmitir a importância dos afetos, dos valores de cidadania do respeito pelo outro e pela natureza. Ara Oliveira terminou desafiando “as escolas a continuarem os bons exemplos, sabendo que o trabalho de continuidade é difícil, pois exige capacidade de reinvenção”, disponibilizando ainda a DRAAC para colaborar nas iniciativas.