Euro cai para novo mínimo de 20 anos depois de viragem à direita em Itália

O euro reagiu hoje com um novo mínimo de vinte anos à viragem à direita em Itália depois da vitória nas eleições gerais de domingo da coligação formada pelos Irmãos de Itália (FdI), a Liga e Forza Italia (FI). O euro caiu hoje até ao mínimo de 0,9551 dólares, mas recuperou novamente e estava a negociar a 0,9656 dólares às 10:45 em Lisboa. "A União Europeia (UE) e a zona euro estão numa situação difícil: não só a Europa está a sofrer uma verdadeira crise energética, mas agora a direita em Itália está também a registar uma vitória histórica", disse o economista-chefe do VP do Banco Thomas Gitzel, citado pela Efe, que acrescenta que o veredicto dos mercados financeiros sobre o assunto é claro. Assim, o euro "continua a ser castigado" e na manhã seguinte às eleições está a ser negociado abaixo dos 0,97 dólares. "A crise energética europeia, os riscos de recessão e agora uma aliança de direita historicamente sem precedentes em Itália desde a Segunda Guerra Mundial estão a enterrar as esperanças de uma rápida recuperação do euro", advertiu. Segundo o analista, "um dos fatores decisivos para o desenvolvimento futuro da moeda única europeia é o quão radical esta aliança de direita atuará de facto".

Euro cai para novo mínimo de 20 anos depois de viragem à direita em Itália
O euro reagiu hoje com um novo mínimo de vinte anos à viragem à direita em Itália depois da vitória nas eleições gerais de domingo da coligação formada pelos Irmãos de Itália (FdI), a Liga e Forza Italia (FI). O euro caiu hoje até ao mínimo de 0,9551 dólares, mas recuperou novamente e estava a negociar a 0,9656 dólares às 10:45 em Lisboa. "A União Europeia (UE) e a zona euro estão numa situação difícil: não só a Europa está a sofrer uma verdadeira crise energética, mas agora a direita em Itália está também a registar uma vitória histórica", disse o economista-chefe do VP do Banco Thomas Gitzel, citado pela Efe, que acrescenta que o veredicto dos mercados financeiros sobre o assunto é claro. Assim, o euro "continua a ser castigado" e na manhã seguinte às eleições está a ser negociado abaixo dos 0,97 dólares. "A crise energética europeia, os riscos de recessão e agora uma aliança de direita historicamente sem precedentes em Itália desde a Segunda Guerra Mundial estão a enterrar as esperanças de uma rápida recuperação do euro", advertiu. Segundo o analista, "um dos fatores decisivos para o desenvolvimento futuro da moeda única europeia é o quão radical esta aliança de direita atuará de facto".