Exposição do escultor Ricardo Veloza inaugura no Centro Cultural da Quinta Magnólia

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, preside, amanhã, dia 4 de julho de 2020, pelas 16.30 horas, no Centro Cultural da Quinta Magnólia, à abertura da inauguração da exposição “Recomposição”. O projeto visa dar a conhecer o trabalho que o escultor Ricardo Veloza, ao longo dos muitos anos, concebeu nas mais diversas áreas das artes.   As peças foram selecionadas pelo seu valor ou pela sua qualidade, pelo inesperado e imprevisibilidade. Pretende ser uma compilação de trabalhos conhecidos, mas sobretudo de desconhecidos lastros plásticos que o artista concebeu durante a sua vida consagrada à comunicação visual. Entenda-se exta exposição como uma junção de obras diversificadas, nas distintas áreas das artes plásticas e de intervenção urbana. A exposição pretende ser uma homenagem ao mestre e à sua extraordinária obra disseminada um pouco por toda a Região, mas também, sobretudo, ao instigador das artes que é Ricardo Veloza. O catálogo começa pelo tema da Autonomia passando ao desenho e escultura, ilustração, design gráfico, troféus e medalhística, terminando com uma peça do autor quando ainda era estudante de Belas Artes. Em exposição estará também o seu automóvel clássico, o Riley Special. De julho a dezembro 2020 poderá visitar a exposição na Quinta Magnólia – Centro Cultural. Das esculturas públicas, a primeira, no Funchal, foi “O mensageiro “de 1984 e as últimas o baixo relevo de homenagem a Harvey Foster , de  2015, e o marco de aniversario do Liceu Jaime Moniz,  em 2019. Tem ainda peças no Porto Santo, nos Prazeres, Chão da Ribeira, São Vicente, Câmara de Lobos e Ribeira Brava.

Exposição do escultor Ricardo Veloza inaugura no Centro Cultural da Quinta Magnólia
O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, preside, amanhã, dia 4 de julho de 2020, pelas 16.30 horas, no Centro Cultural da Quinta Magnólia, à abertura da inauguração da exposição “Recomposição”. O projeto visa dar a conhecer o trabalho que o escultor Ricardo Veloza, ao longo dos muitos anos, concebeu nas mais diversas áreas das artes.   As peças foram selecionadas pelo seu valor ou pela sua qualidade, pelo inesperado e imprevisibilidade. Pretende ser uma compilação de trabalhos conhecidos, mas sobretudo de desconhecidos lastros plásticos que o artista concebeu durante a sua vida consagrada à comunicação visual. Entenda-se exta exposição como uma junção de obras diversificadas, nas distintas áreas das artes plásticas e de intervenção urbana. A exposição pretende ser uma homenagem ao mestre e à sua extraordinária obra disseminada um pouco por toda a Região, mas também, sobretudo, ao instigador das artes que é Ricardo Veloza. O catálogo começa pelo tema da Autonomia passando ao desenho e escultura, ilustração, design gráfico, troféus e medalhística, terminando com uma peça do autor quando ainda era estudante de Belas Artes. Em exposição estará também o seu automóvel clássico, o Riley Special. De julho a dezembro 2020 poderá visitar a exposição na Quinta Magnólia – Centro Cultural. Das esculturas públicas, a primeira, no Funchal, foi “O mensageiro “de 1984 e as últimas o baixo relevo de homenagem a Harvey Foster , de  2015, e o marco de aniversario do Liceu Jaime Moniz,  em 2019. Tem ainda peças no Porto Santo, nos Prazeres, Chão da Ribeira, São Vicente, Câmara de Lobos e Ribeira Brava.