FC Porto defende liderança no reduto do lanterna-vermelha Aves

O FC Porto defende na terça-feira a liderança da I Liga portuguesa de futebol no reduto do lanterna-vermelha Desportivo das Aves, numa 27.ª ronda em que, um dia depois, um Benfica em ‘crise’ visita Vila do Conde. De regresso aos triunfos na última ronda (1-0 ao Marítimo), depois de um empate, antes da paragem devido à covid-19 (1-1 com o Rio Ave), e uma derrota, depois (1-2 em Famalicão), os ‘dragões’ tentam, no mínimo, manter a distância para os campeões. A tarefa não se afigura difícil, já que o FC Porto defronta o último colocado, com 13 pontos, a 12 da ‘salvação’, e que vem de cinco derrotas seguidas e sete jogos sem ganhar. A última vitória (2-1) aconteceu em 02 de fevereiro, na Madeira. O treinador Sérgio Conceição não vai poder contar com o castigado Alex Telles, um jogador que tem sido preponderante na equipa ‘azul e branca’, com oito golos anotados e cinco assistências na I Liga. Marcano está fora até final da época. Os portistas até podem ampliar a margem de dois pontos de vantagem sobre o Benfica, segundo classificado, que se desloca ao reduto do Rio Ave, depois de quatro empates consecutivos na prova e uma série de 10 jogos em todas as provas só com um triunfo, o pior registo desde 2007/08. Os ‘encarnados’ enfrentam um sexto classificado moralizado, após o 1-0 no reduto do Moreirense, e terão de fazê-lo com uma defesa remodelada, face ao castigo de André Almeida e às lesões de Grimaldo, que só volta em 2020/21, e Jardel. Nos últimos quatro jogos no campeonato, o ‘onze’ de Bruno Lage, que venceu 18 dos primeiros 19, empatou consecutivamente com Moreirense (1-1) e em Setúbal (1-1), mesmo com dois penáltis a favor em cada jogo, e, pós retoma, com Tondela (0-0) e em Portimão (2-2), onde chegou ao intervalo a vencer por 2-0. Muitos pontos abaixo, na luta pelo último lugar do pódio, o Sporting de Braga, que perdeu os dois jogos pós retoma, defende na sexta-feira o terceiro lugar no reduto do Famalicão, quinto, que é a única equipa que ganhou as duas partidas desde o regresso. A formação de João Pedro Sousa tem sido a equipa sensação do campeonato, que já liderou, e iguala os ‘arsenalistas’ em caso de triunfo, sendo que, na primeira volta, empatou 2-2 na ‘pedreira’, pelo que ficaria com vantagem no confronto direto. Por seu lado, e após o triunfo pela margem mínima (1-0) face ao Paços de Ferreira, o Sporting, que igualou pontualmente os ‘arsenalistas’, volta a jogar em casa, na quinta-feira, perante o Tondela, que, na retoma, ‘arrancou’ uma igualdade sem golos na Luz e bateu o lanterna-vermelha Aves por 2-0. Para o embate face ao conjunto do espanhol Natxo González, 14.º colocado, com 29 pontos, o Sporting não tem uma peça importante no ataque, o argentino Luciano Vietto, a contas com uma luxação no ombro direito, sofrida face aos pacenses. Quando aos outros jogos, de uma ronda que se volta a dividir por cinco dias, as ‘hostilidades’ abrem na segunda-feira, com a receção do Marítimo ao Gil Vicente, duas equipas que ainda não conseguiram vencer desde o recomeço da prova. Na terça-feira, e além da deslocação do líder à Vila das Aves, realiza-se, na Cidade do Futebol, em Oeiras, o embate entre o Santa Clara e o aflito Portimonense, duas equipas que não sabem o que é perder desde a interrupção, devido à pandemia de covid-19. Para o dia seguinte, está marcado novo teste à crise do Benfica e igualmente a receção do Paços de Ferreira ao Belenenses SAD, que não perde há seis encontros. Na quinta-feira, o ‘rei’ dos empates (12) na I Liga, o Vitória de Setúbal, e que vem de uma série de quatro igualdades, desloca-se ao Bessa para medir forças com o Boavista, antes da receção do Sporting ao Tondela. A ronda encerra em Famalicão, numa sexta-feira em que também acontece um dérbi minhoto, no Estádio D. Afonso Henriques, entre Vitória e Moreirense, sétimo e nono, com 39 e 33 pontos, respetivamente.

FC Porto defende liderança no reduto do lanterna-vermelha Aves
O FC Porto defende na terça-feira a liderança da I Liga portuguesa de futebol no reduto do lanterna-vermelha Desportivo das Aves, numa 27.ª ronda em que, um dia depois, um Benfica em ‘crise’ visita Vila do Conde. De regresso aos triunfos na última ronda (1-0 ao Marítimo), depois de um empate, antes da paragem devido à covid-19 (1-1 com o Rio Ave), e uma derrota, depois (1-2 em Famalicão), os ‘dragões’ tentam, no mínimo, manter a distância para os campeões. A tarefa não se afigura difícil, já que o FC Porto defronta o último colocado, com 13 pontos, a 12 da ‘salvação’, e que vem de cinco derrotas seguidas e sete jogos sem ganhar. A última vitória (2-1) aconteceu em 02 de fevereiro, na Madeira. O treinador Sérgio Conceição não vai poder contar com o castigado Alex Telles, um jogador que tem sido preponderante na equipa ‘azul e branca’, com oito golos anotados e cinco assistências na I Liga. Marcano está fora até final da época. Os portistas até podem ampliar a margem de dois pontos de vantagem sobre o Benfica, segundo classificado, que se desloca ao reduto do Rio Ave, depois de quatro empates consecutivos na prova e uma série de 10 jogos em todas as provas só com um triunfo, o pior registo desde 2007/08. Os ‘encarnados’ enfrentam um sexto classificado moralizado, após o 1-0 no reduto do Moreirense, e terão de fazê-lo com uma defesa remodelada, face ao castigo de André Almeida e às lesões de Grimaldo, que só volta em 2020/21, e Jardel. Nos últimos quatro jogos no campeonato, o ‘onze’ de Bruno Lage, que venceu 18 dos primeiros 19, empatou consecutivamente com Moreirense (1-1) e em Setúbal (1-1), mesmo com dois penáltis a favor em cada jogo, e, pós retoma, com Tondela (0-0) e em Portimão (2-2), onde chegou ao intervalo a vencer por 2-0. Muitos pontos abaixo, na luta pelo último lugar do pódio, o Sporting de Braga, que perdeu os dois jogos pós retoma, defende na sexta-feira o terceiro lugar no reduto do Famalicão, quinto, que é a única equipa que ganhou as duas partidas desde o regresso. A formação de João Pedro Sousa tem sido a equipa sensação do campeonato, que já liderou, e iguala os ‘arsenalistas’ em caso de triunfo, sendo que, na primeira volta, empatou 2-2 na ‘pedreira’, pelo que ficaria com vantagem no confronto direto. Por seu lado, e após o triunfo pela margem mínima (1-0) face ao Paços de Ferreira, o Sporting, que igualou pontualmente os ‘arsenalistas’, volta a jogar em casa, na quinta-feira, perante o Tondela, que, na retoma, ‘arrancou’ uma igualdade sem golos na Luz e bateu o lanterna-vermelha Aves por 2-0. Para o embate face ao conjunto do espanhol Natxo González, 14.º colocado, com 29 pontos, o Sporting não tem uma peça importante no ataque, o argentino Luciano Vietto, a contas com uma luxação no ombro direito, sofrida face aos pacenses. Quando aos outros jogos, de uma ronda que se volta a dividir por cinco dias, as ‘hostilidades’ abrem na segunda-feira, com a receção do Marítimo ao Gil Vicente, duas equipas que ainda não conseguiram vencer desde o recomeço da prova. Na terça-feira, e além da deslocação do líder à Vila das Aves, realiza-se, na Cidade do Futebol, em Oeiras, o embate entre o Santa Clara e o aflito Portimonense, duas equipas que não sabem o que é perder desde a interrupção, devido à pandemia de covid-19. Para o dia seguinte, está marcado novo teste à crise do Benfica e igualmente a receção do Paços de Ferreira ao Belenenses SAD, que não perde há seis encontros. Na quinta-feira, o ‘rei’ dos empates (12) na I Liga, o Vitória de Setúbal, e que vem de uma série de quatro igualdades, desloca-se ao Bessa para medir forças com o Boavista, antes da receção do Sporting ao Tondela. A ronda encerra em Famalicão, numa sexta-feira em que também acontece um dérbi minhoto, no Estádio D. Afonso Henriques, entre Vitória e Moreirense, sétimo e nono, com 39 e 33 pontos, respetivamente.