Fidelidade mostra-se surpresa com a instauração do processo por parte do Concelho Regional de Lisboa da Ordem dos Advogados

Através de um comunicado enviado hoje às redações, a seguradora Fidelidade mostrou-se surpreendida com a notícia da instauração de um processo por parte do Conselho Regional de Lisboa da Ordem dos Advogados, após ter disponibilizado aos seus clientes o acesso a um serviço informativo gratuito de esclarecimento jurídico. Eis o restante comunicado na íntegra: “Num quadro de grave crise sanitária e social como o que se vive, mal se entenderia tal posição da Ordem dos Advogados, que deveria contribuir, como todos, para juntar os esforços da sociedade civil, e não dividir. Na medida em que parece ter havido alguma precipitação nesta tomada de posição, que aliás foi transmitida à comunicação social sem a prudência de recolher previamente os necessários esclarecimentos, a Fidelidade não pode deixar de clarificar que: Decidiu disponibilizar gratuitamente aos seus clientes particulares e empresas que tenham cobertura de Proteção Jurídica em alguma das suas apólices, bem como às empresas clientes de seguros de acidentes de Trabalho, o acesso a um serviço informativo e de esclarecimento jurídico, quanto ao conteúdo das medidas legislativas e regulamentares, extraordinárias e urgentes, adotadas em resposta à situação epidemiológica do COVID-19; Tal serviço é prestado exclusivamente por advogados inscritos na Ordem dos Advogados; Este facto foi desde logo assinalado na comunicação publica de divulgação desta iniciativa, o que aparentemente a Ordem de Advogados não teve oportunidade de considerar nem procurou esclarecer; O acesso a este serviço insere-se no âmbito da cobertura de proteção jurídica disponibilizada por inúmeras seguradoras, em Portugal e no estrangeiro, a milhões de clientes. Num momento em que toda a sociedade se juntou para lutar contra a situação pandémica em que vivemos, mal se compreenderia a alegada posição da Ordem dos Advogados. A Fidelidade, em escrupuloso cumprimento do estabelecido na lei, vai continuar a disponibilizar o acesso a este serviço aos seus clientes, reforçando, assim, o seu compromisso de os acompanhar em qualquer momento, e em especial neste momento crítico que todos vivemos”, remata.  

Fidelidade mostra-se surpresa com a instauração do processo por parte do Concelho Regional de Lisboa da Ordem dos Advogados
Através de um comunicado enviado hoje às redações, a seguradora Fidelidade mostrou-se surpreendida com a notícia da instauração de um processo por parte do Conselho Regional de Lisboa da Ordem dos Advogados, após ter disponibilizado aos seus clientes o acesso a um serviço informativo gratuito de esclarecimento jurídico. Eis o restante comunicado na íntegra: “Num quadro de grave crise sanitária e social como o que se vive, mal se entenderia tal posição da Ordem dos Advogados, que deveria contribuir, como todos, para juntar os esforços da sociedade civil, e não dividir. Na medida em que parece ter havido alguma precipitação nesta tomada de posição, que aliás foi transmitida à comunicação social sem a prudência de recolher previamente os necessários esclarecimentos, a Fidelidade não pode deixar de clarificar que: Decidiu disponibilizar gratuitamente aos seus clientes particulares e empresas que tenham cobertura de Proteção Jurídica em alguma das suas apólices, bem como às empresas clientes de seguros de acidentes de Trabalho, o acesso a um serviço informativo e de esclarecimento jurídico, quanto ao conteúdo das medidas legislativas e regulamentares, extraordinárias e urgentes, adotadas em resposta à situação epidemiológica do COVID-19; Tal serviço é prestado exclusivamente por advogados inscritos na Ordem dos Advogados; Este facto foi desde logo assinalado na comunicação publica de divulgação desta iniciativa, o que aparentemente a Ordem de Advogados não teve oportunidade de considerar nem procurou esclarecer; O acesso a este serviço insere-se no âmbito da cobertura de proteção jurídica disponibilizada por inúmeras seguradoras, em Portugal e no estrangeiro, a milhões de clientes. Num momento em que toda a sociedade se juntou para lutar contra a situação pandémica em que vivemos, mal se compreenderia a alegada posição da Ordem dos Advogados. A Fidelidade, em escrupuloso cumprimento do estabelecido na lei, vai continuar a disponibilizar o acesso a este serviço aos seus clientes, reforçando, assim, o seu compromisso de os acompanhar em qualquer momento, e em especial neste momento crítico que todos vivemos”, remata.