Força Aérea identifica embarcações de tráfico de droga e imigração ilegal no Mediterrâneo

Uma aeronave ‘P-3C CUP+’, da Força Aérea Portuguesa (FAP), foi empenhada, no dia 15 de abril, a mais uma missão da operação ‘Sea Guardian’ da Nato, que permitiu identificar nove embarcações associadas ao tráfico de estupefacientes, uma embarcação associada a imigração ilegal e outra abandonada. De acordo com o comunicado enviado pelo Estado-Maior-General das Forças Armadas, a aeronave, operada pela Esquadra 601 ‘Lobos’, conhecida pela sua autonomia, permitiu patrulhar uma área com cerca de 120.000 km2 no mar mediterrâneo, num total de sete horas e quarenta e cinco minutos de voo, identificando 1.200 contactos. Esta operação da NATO, no Mediterrâneo, tem como objetivo contribuir para a segurança marítima deste mar, através do incremento do conhecimento situacional marítimo e da capacitação de parceiros.      

Força Aérea identifica embarcações de tráfico de droga e imigração ilegal no Mediterrâneo
Uma aeronave ‘P-3C CUP+’, da Força Aérea Portuguesa (FAP), foi empenhada, no dia 15 de abril, a mais uma missão da operação ‘Sea Guardian’ da Nato, que permitiu identificar nove embarcações associadas ao tráfico de estupefacientes, uma embarcação associada a imigração ilegal e outra abandonada. De acordo com o comunicado enviado pelo Estado-Maior-General das Forças Armadas, a aeronave, operada pela Esquadra 601 ‘Lobos’, conhecida pela sua autonomia, permitiu patrulhar uma área com cerca de 120.000 km2 no mar mediterrâneo, num total de sete horas e quarenta e cinco minutos de voo, identificando 1.200 contactos. Esta operação da NATO, no Mediterrâneo, tem como objetivo contribuir para a segurança marítima deste mar, através do incremento do conhecimento situacional marítimo e da capacitação de parceiros.