Fórum da Poupança JM: “Poupar na energia é sair menos dinheiro da economia local”

A opinião é de Flipe Oliveira, no decorrer do 1.º Fórum da Poupança JM, que vai decorrendo na tarde desta sexta-feira na própria redação deste jornal. Filipe Oliveira concorda que se poupe na ‘bica’, mas releva que há formas muito mais importantes de poupar, numa análise bastante economicista e visando a própria economia do arquipélago. “Apagar a luz é um exemplo caricato, mas poupar através de energia tem muitas outras valias”, relevou. No seu entender, “quem tem um comportamento de apagar a luz, é também portador de um comportamento habituado a desligar outros equipamentos”, fez notar. É aqui que entra “a poupança também do ambiente”, fazendo notar que “poupar na bica é não entrar dinheiro na economia local” enquanto poupar ao nível da energia é “sair menos dinheiro da economia local”, pois, naturalmente, todo o petróleo é importado. Filipe Oliveira lembra que “os transportes terrestres, consomem cerca de metade da energia fóssil importada”, considerando ser esta uma área de atuação muito importante para quem quer poupar e contribuir em simultâneo, para um melhor ambiente. “Se utilizarmos os transportes de uma forma eficiente damos logo um grande contributo na economia, é dinheiro que não sai da Madeira”, relevando a importância de andar a pé, andar de bicicleta ou utilização dos transportes públicos, que têm “um consumo cinco vezes menor”. O 1.º Fórum da Poupança JM, na própria redação deste jornal, tem como base a discussão da Temática da Poupança e da necessidade de uma Cultura de Poupança, reunindo um painel constituído por Filipe Oliveira, da AREAM, Natália Nunes, em representação da DECO, e Pedro Mello e Castro, representante do Santander. Filipe Oliveira está no estúdio do JM, enquanto Natália Nunes e Pedro Mello e Castro intervêm por videoconferência. A moderação está a cargo do jornalista Miguel Guarda, com Agostinho Silva, diretor do JM, a fazer as ‘honras da casa’. Este um fórum que vai sendo transmitido, em tempo real, através da plataforma jm-madeira.pt, no canal ‘naminhaterra.pt’ e redes sociais e ainda rádio 88.8JM

Fórum da Poupança JM: “Poupar na energia é sair menos dinheiro da economia local”
A opinião é de Flipe Oliveira, no decorrer do 1.º Fórum da Poupança JM, que vai decorrendo na tarde desta sexta-feira na própria redação deste jornal. Filipe Oliveira concorda que se poupe na ‘bica’, mas releva que há formas muito mais importantes de poupar, numa análise bastante economicista e visando a própria economia do arquipélago. “Apagar a luz é um exemplo caricato, mas poupar através de energia tem muitas outras valias”, relevou. No seu entender, “quem tem um comportamento de apagar a luz, é também portador de um comportamento habituado a desligar outros equipamentos”, fez notar. É aqui que entra “a poupança também do ambiente”, fazendo notar que “poupar na bica é não entrar dinheiro na economia local” enquanto poupar ao nível da energia é “sair menos dinheiro da economia local”, pois, naturalmente, todo o petróleo é importado. Filipe Oliveira lembra que “os transportes terrestres, consomem cerca de metade da energia fóssil importada”, considerando ser esta uma área de atuação muito importante para quem quer poupar e contribuir em simultâneo, para um melhor ambiente. “Se utilizarmos os transportes de uma forma eficiente damos logo um grande contributo na economia, é dinheiro que não sai da Madeira”, relevando a importância de andar a pé, andar de bicicleta ou utilização dos transportes públicos, que têm “um consumo cinco vezes menor”. O 1.º Fórum da Poupança JM, na própria redação deste jornal, tem como base a discussão da Temática da Poupança e da necessidade de uma Cultura de Poupança, reunindo um painel constituído por Filipe Oliveira, da AREAM, Natália Nunes, em representação da DECO, e Pedro Mello e Castro, representante do Santander. Filipe Oliveira está no estúdio do JM, enquanto Natália Nunes e Pedro Mello e Castro intervêm por videoconferência. A moderação está a cargo do jornalista Miguel Guarda, com Agostinho Silva, diretor do JM, a fazer as ‘honras da casa’. Este um fórum que vai sendo transmitido, em tempo real, através da plataforma jm-madeira.pt, no canal ‘naminhaterra.pt’ e redes sociais e ainda rádio 88.8JM