Furacão Sally sobe para categoria 2 na aproximação aos Estados Unidos

O furacão Sally, em aproximação das costas do sudeste dos Estados Unidos, subiu para a categoria 2, numa escala de cinco, indicou hoje o último boletim do Centro Nacional de Furacões (NHC) norte-americano. Com a ameaça de desencadear inundações mortíferas em vários estados norte-americanos, o Sally regista ventos de mais de 160 quilómetros/hora (km/h), indicou o NHC. Na terça-feira, mais de 18 mil clientes ficaram sem energia nos estados do Alabama, do Mississippi e da Florida, de acordo com a cadeia de televisão CNN, que indicou ainda ser já possível ver alguns pontões e cais destruídos ao longo da costa. A escala Saffir-Simpson, que classifica as furacões consoante a intensidade dos ventos sustentados, tem cinco níveis, evoluindo do nível 1 para o 5, o mais elevado. Uma depressão entra na categoria 1 da escala de classificação de furacões Saffir-Simpson, quando os ventos máximos excedem os 119 km/h.

Furacão Sally sobe para categoria 2 na aproximação aos Estados Unidos
O furacão Sally, em aproximação das costas do sudeste dos Estados Unidos, subiu para a categoria 2, numa escala de cinco, indicou hoje o último boletim do Centro Nacional de Furacões (NHC) norte-americano. Com a ameaça de desencadear inundações mortíferas em vários estados norte-americanos, o Sally regista ventos de mais de 160 quilómetros/hora (km/h), indicou o NHC. Na terça-feira, mais de 18 mil clientes ficaram sem energia nos estados do Alabama, do Mississippi e da Florida, de acordo com a cadeia de televisão CNN, que indicou ainda ser já possível ver alguns pontões e cais destruídos ao longo da costa. A escala Saffir-Simpson, que classifica as furacões consoante a intensidade dos ventos sustentados, tem cinco níveis, evoluindo do nível 1 para o 5, o mais elevado. Uma depressão entra na categoria 1 da escala de classificação de furacões Saffir-Simpson, quando os ventos máximos excedem os 119 km/h.