Governo da Madeira disponibiliza aplicação sobre os jardins do arquipélago

O Governo Regional da Madeira apresentou hoje uma aplicação para telemóvel sobre os jardins do arquipélago, um dos produtos turísticos mais antigos do destino, com cerca de um milhão de visitantes por ano antes da crise pandémica. "Este produto já existe há muito tempo, faltava ser estruturado desta forma", disse o secretário regional do Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, em conferência de imprensa no Jardim Botânico, no Funchal. O governante vincou que a nova aplicação, designada ‘Madeira Gardens', foi desenvolvida pela Associação de Promoção da Madeira e faz uso da tecnologia sobre um produto "muito antigo", que constituiu uma importante "expressão cultural" da região. "Um jardim é uma memória viva da nossa história", disse. Eduardo Jesus sublinhou que, antes da crise pandémica, os jardins públicos e privados da Madeira recebiam em média um milhão de visitantes por ano, sendo que o mais procurado, com 380 mil entradas, era o Jardim Botânico, nos arredores do Funchal, o mais emblemático da região. "Quem gosta da temática dos jardins acaba por aceder [através da aplicação] a este património ainda antes de iniciar a sua viagem", reforçou. A aplicação ‘Madeira Gardens' fornece informação sobre 16 jardins do arquipélago - 15 na Madeira e um no Porto Santo -, divulgando dados como o horário de funcionamento, as condições de acesso e o historial do recinto. "Isto permite, acima de tudo, o acesso à informação de uma forma mais fácil", disse Eduardo Jesus, realçando que, por outro lado, vai ao encontro do novo perfil de turistas que começam agora a visitar a região. "Estamos a assistir a uma alteração das pessoas que nos estão a procurar como destino turístico. A grande maioria que está a chegar, neste momento, são pessoas mais novas do que habitualmente se verificava", explicou.

Governo da Madeira disponibiliza aplicação sobre os jardins do arquipélago
O Governo Regional da Madeira apresentou hoje uma aplicação para telemóvel sobre os jardins do arquipélago, um dos produtos turísticos mais antigos do destino, com cerca de um milhão de visitantes por ano antes da crise pandémica. "Este produto já existe há muito tempo, faltava ser estruturado desta forma", disse o secretário regional do Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, em conferência de imprensa no Jardim Botânico, no Funchal. O governante vincou que a nova aplicação, designada ‘Madeira Gardens', foi desenvolvida pela Associação de Promoção da Madeira e faz uso da tecnologia sobre um produto "muito antigo", que constituiu uma importante "expressão cultural" da região. "Um jardim é uma memória viva da nossa história", disse. Eduardo Jesus sublinhou que, antes da crise pandémica, os jardins públicos e privados da Madeira recebiam em média um milhão de visitantes por ano, sendo que o mais procurado, com 380 mil entradas, era o Jardim Botânico, nos arredores do Funchal, o mais emblemático da região. "Quem gosta da temática dos jardins acaba por aceder [através da aplicação] a este património ainda antes de iniciar a sua viagem", reforçou. A aplicação ‘Madeira Gardens' fornece informação sobre 16 jardins do arquipélago - 15 na Madeira e um no Porto Santo -, divulgando dados como o horário de funcionamento, as condições de acesso e o historial do recinto. "Isto permite, acima de tudo, o acesso à informação de uma forma mais fácil", disse Eduardo Jesus, realçando que, por outro lado, vai ao encontro do novo perfil de turistas que começam agora a visitar a região. "Estamos a assistir a uma alteração das pessoas que nos estão a procurar como destino turístico. A grande maioria que está a chegar, neste momento, são pessoas mais novas do que habitualmente se verificava", explicou.