A Câmara da Calheta quer afundamento de um navio para zona de mergulho

Quinta-feira, 13 de Setembro de 2018

 Foi durante a visita do Governo Regional à nova Área Protegida da Ponta do Pargo, ontem, abordo do Catamaran Atlantic Pearl, que o presidente da Câmara da Calheta, Carlos Teles, revelou o seu interesse no afundamento de um navio, para a prática de mergulho no Concelho.

O Autarca mostrou-se disponível para financiar os custos da operação, pois acredita que esta será uma forma de complementar a nova Área Protegida e de potencializar o atual crescimento do sector turístico marítimo no seu Concelho.

A Secretária do Ambiente e Recursos Naturais, Susana Prada,  não descartou a proposta de Carlos Teles e prometeu estudá-la,  uma vez que é intenção do Governo criar um Roteiro Regional de Mergulho. Atualmente, o Governo tem entre mãos duas embarcações, já cedidas pela Marinha Portuguesa, com destino às zonas de Machico e Santa Cruz onde ainda se estudam possibilidades de financiamento.

A mais recente Área Protegida da Região compreende toda a superfície terrestre que existe entre o Ribeiro Velho, no Concelho da Calheta e a Ribeira do Tristão no Concelho do Porto Moniz e, na parte marinha, toda a área entre a batimétrica dos 50 metros e os 10 metros acima da linha de costa. Objetivo da criação desta Área é reconhecer os valores naturais, o património natural e cultural, promover a sua valorização, atrair visitante e dinamizar a economia.

Segundo Susana Prada existirá mais fiscalização, nestas zonas. Contudo, a atividade de pesca poderá continuar, segundo as regras já existente.

 

 

Para Ouvir aqui a reportagem





Publicidade
Publicidade