Ireneu Barreto recebe novo presidente do Tribunal Judicial da Comarca da Madeira

O representante da República na Região Autónoma da Madeira, Ireneu Barreto, recebeu esta manhã no Palácio de São Lourenço, o novo juiz presidente do tribunal judicial da comarca da Madeira, Filipe Câmara, que encetou funções no passado dia 1 de setembro. Em declarações aos órgãos de comunicação social presentes no local, o novo juiz começou por enaltecer a organização deixada pelo antigo presidente, Paulo Barreto, fazendo referência às suas principais inquietações que são “Santa Cruz e Ponta do Sol”, pois afirma que os estabelecimentos referentes a estas localidades estão carecidos de obras de recuperação. Contudo, refere que será necessário encontrar um espaço “onde transitoriamente as audiências de julgamento decorram, porque trabalhar e fazer obras, será incompatível”. Quando questionado sobre estas novas medidas de segurança, devido à pandemia, e aos métodos utilizados pelos tribunais, o juiz mostrou-se inteiramente satisfeito com a resposta que tem vindo a ser dada pelos mesmos. “Os tribunais têm vindo a funcionar perfeitamente na Madeira, até hoje, e penso que vão continuar a funcionar.” Em relação aos processos adiados, Filipe Câmara relatou que estes, não pararam mesmo com a situação pandémica que se atravessa, no entanto afirma que houve alguns atrasos, especialmente nos processos menos urgentes, e esse é outro dos objetivos do novo presidente do Tribunal Judicial, “temos que recuperar 3 meses, os processos estão em dia, mas temos que recuperar as diligências que não foram feitas”.

Ireneu Barreto recebe novo presidente do Tribunal Judicial da Comarca da Madeira
O representante da República na Região Autónoma da Madeira, Ireneu Barreto, recebeu esta manhã no Palácio de São Lourenço, o novo juiz presidente do tribunal judicial da comarca da Madeira, Filipe Câmara, que encetou funções no passado dia 1 de setembro. Em declarações aos órgãos de comunicação social presentes no local, o novo juiz começou por enaltecer a organização deixada pelo antigo presidente, Paulo Barreto, fazendo referência às suas principais inquietações que são “Santa Cruz e Ponta do Sol”, pois afirma que os estabelecimentos referentes a estas localidades estão carecidos de obras de recuperação. Contudo, refere que será necessário encontrar um espaço “onde transitoriamente as audiências de julgamento decorram, porque trabalhar e fazer obras, será incompatível”. Quando questionado sobre estas novas medidas de segurança, devido à pandemia, e aos métodos utilizados pelos tribunais, o juiz mostrou-se inteiramente satisfeito com a resposta que tem vindo a ser dada pelos mesmos. “Os tribunais têm vindo a funcionar perfeitamente na Madeira, até hoje, e penso que vão continuar a funcionar.” Em relação aos processos adiados, Filipe Câmara relatou que estes, não pararam mesmo com a situação pandémica que se atravessa, no entanto afirma que houve alguns atrasos, especialmente nos processos menos urgentes, e esse é outro dos objetivos do novo presidente do Tribunal Judicial, “temos que recuperar 3 meses, os processos estão em dia, mas temos que recuperar as diligências que não foram feitas”.