Jornadas Madeira: "Defender que não cresçam as camas é suicídio"

Orlando Fernandes, deputado municipal na Assembleia do Funchal, questionou o secretário do Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, acerca da diminuição da taxa líquida de ocupação de 20% que se verificou entre 2016 e 2019 e aludiu ao aumento do número...

Jornadas Madeira: "Defender que não cresçam as camas é suicídio"
Orlando Fernandes, deputado municipal na Assembleia do Funchal, questionou o secretário do Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, acerca da diminuição da taxa líquida de ocupação de 20% que se verificou entre 2016 e 2019 e aludiu ao aumento do número de estabelecimentos em funcionamento, que passou de 156 em 2016 para 387 em 2019. Em resposta, o secretário afirmou: "O crescimento da oferta da região não é tido como um problema, se a oferta não crescesse era um indicador de que o setor privado não acreditaria no setor turístico e que não mereceria o interesse de investidores estrangeiros. Defender que não crescam as camas na Madeira é suicídio. A Madeira recebeu investimentos importantes para a qualificação do setor. Muito mais do que a oferta, o importante foi a requalificação das camas. Em 2017 decidiu-se requalificar e surgiram resultados extraordinários. Hoje temos hotéis que tinham 30, 40 anos e foram requalificados, muitos deles em parceria com operadores internacionais, o que significa que alguém acredita no setor".