Jornadas Madeira: Investir agora um milhão de euros nos EUA e no Canadá "não faz sentido"

Bruno Freitas, representante do Grupo Savoy Signature no debate que está a decorrer no salão nobre da Assembleia Legislativa da Madeira, defendeu hoje que o milhão de euros previstos para a promoção da Madeira nos mercados dos EUA e do Canadá para este ano deverão ser realocados para os mercados mais tradicionais madeirenses, como alguns europeus. "Não faz sentido alocar um milhão de euros para os EUA e Canadá. Não faz qualquer sentido ir lá gastar por gastar", insistiu, considerando que o plano inicial de promoção para o ano 2020 deverá ser revisto para responder à crise entretanto gerada. Bruno Freitas esclareceu contudo que esta realocação não deverá representar um total desinvestimento nos mercados que a Madeira vinha tentando ganhar fatia nos últimos anos, até porque a retoma seria ainda mais difícil no futuro nesses mercados. Neste sentido, defendeu o recurso às novas tecnologias para manter uma presença esses mercados, mas com um custo menor do que as iniciativas com presenças.

Jornadas Madeira: Investir agora um milhão de euros nos EUA e no Canadá "não faz sentido"
Bruno Freitas, representante do Grupo Savoy Signature no debate que está a decorrer no salão nobre da Assembleia Legislativa da Madeira, defendeu hoje que o milhão de euros previstos para a promoção da Madeira nos mercados dos EUA e do Canadá para este ano deverão ser realocados para os mercados mais tradicionais madeirenses, como alguns europeus. "Não faz sentido alocar um milhão de euros para os EUA e Canadá. Não faz qualquer sentido ir lá gastar por gastar", insistiu, considerando que o plano inicial de promoção para o ano 2020 deverá ser revisto para responder à crise entretanto gerada. Bruno Freitas esclareceu contudo que esta realocação não deverá representar um total desinvestimento nos mercados que a Madeira vinha tentando ganhar fatia nos últimos anos, até porque a retoma seria ainda mais difícil no futuro nesses mercados. Neste sentido, defendeu o recurso às novas tecnologias para manter uma presença esses mercados, mas com um custo menor do que as iniciativas com presenças.