Jornadas Madeira: pescadores da ruama estão a receber 200 a 300 euros por mês

Higino Teles, deputado na Assembleia Legislativa da Madeira, refere que as capturas do ano 2018 do peixe espada preto, significaram 28 por cento do peixe descarregado na Região. Esta espécie, segundo adiantou há pouco, no período de perguntas e respostas das Jornadas Madeira, tem um peso muito importante. Aliás, lembrou que não podemos falar do peixe espada preto sem lembrar a importância deste na gastronomia madeirense.O deputado diz achar que estão reunidas as condições para que os fundos comunitários para tão ambicionada renovação da frota. Sobre a pesca da ruama - três embarcações em sistema rotativo- Higino Teles diz que aqueles pescadores estão a receber, por mês, 200 a 300 euros, que não é aceitável. Sobre a pesca da ruama,  Jacinto Silva, da Coopesca, que também é armador desta pesca, diz que até tem vergonha de falar no assunto. "A malta pergunta como é possível um pescador sobreviver com este valor? Não é possível. Mas nós, armadores, damos a possibilidade de o pescador poder levar para casa e até vender o peixe que apanha com uma linha de pesca", referiu. Jacinto Silva diz que, muitas vezes, os pescadores são apanhados pela GNR mas arriscam para ter alguma achega ao que têm para sobreviver por mês. A favor de abate de algumas embarcações, Jacinto Silva diz que aumentava-se o stock e o rendimento. "A nossa lota do Funchal sem ruama, morre", finalizou.

Jornadas Madeira: pescadores da ruama estão a receber 200 a 300 euros por mês
Higino Teles, deputado na Assembleia Legislativa da Madeira, refere que as capturas do ano 2018 do peixe espada preto, significaram 28 por cento do peixe descarregado na Região. Esta espécie, segundo adiantou há pouco, no período de perguntas e respostas das Jornadas Madeira, tem um peso muito importante. Aliás, lembrou que não podemos falar do peixe espada preto sem lembrar a importância deste na gastronomia madeirense.O deputado diz achar que estão reunidas as condições para que os fundos comunitários para tão ambicionada renovação da frota. Sobre a pesca da ruama - três embarcações em sistema rotativo- Higino Teles diz que aqueles pescadores estão a receber, por mês, 200 a 300 euros, que não é aceitável. Sobre a pesca da ruama,  Jacinto Silva, da Coopesca, que também é armador desta pesca, diz que até tem vergonha de falar no assunto. "A malta pergunta como é possível um pescador sobreviver com este valor? Não é possível. Mas nós, armadores, damos a possibilidade de o pescador poder levar para casa e até vender o peixe que apanha com uma linha de pesca", referiu. Jacinto Silva diz que, muitas vezes, os pescadores são apanhados pela GNR mas arriscam para ter alguma achega ao que têm para sobreviver por mês. A favor de abate de algumas embarcações, Jacinto Silva diz que aumentava-se o stock e o rendimento. "A nossa lota do Funchal sem ruama, morre", finalizou.