Lídia Maria lançou obra ‘Poesia Mágica’

No último sábado, dia 20 de julho pelas 15 horas, houve a sessão de apresentação do livro ‘Poesia Mágica’ de Lídia Maria (Me), editado pela Chiado Editora, no Centro Comercial La Vie, Funchal. A autora, que se identifica como Lídia Maria (Me),...

Lídia Maria lançou obra ‘Poesia Mágica’
No último sábado, dia 20 de julho pelas 15 horas, houve a sessão de apresentação do livro ‘Poesia Mágica’ de Lídia Maria (Me), editado pela Chiado Editora, no Centro Comercial La Vie, Funchal. A autora, que se identifica como Lídia Maria (Me), explicitou, segundo contacto enviado às redações, que assim o fez, porque desde sempre, quis de forma discreta assinalar os seus direitos de autora. Mais informa que o “seu nome completo é Lídia Maria Teixeira Sousa Garcês, é natural do Arco da Calheta e reside e trabalha atualmente, no concelho de São Vicente”. Confessou ainda “que sempre nutriu admiração pela escrita, pela leitura de autores que lhe enchiam a alma e motivada por tal e por sentir essa necessidade, foi efetuando os seus registos poéticos, mas guardou-os, sendo só agora, ao sentir-se mais confiante, que resolveu mostrar ao mundo a sua veia poética”. Nesta ocasião, “estiveram presentes diversos convidados com destaque para a vereadora Madalena Nunes da Câmara Municipal do Funchal, o vice-presidente da Câmara Municipal da Calheta, Nuno Maciel, ambos com o pelouro da cultura”.  A autora anunciou que “ofereceu às bibliotecas municipais dos concelhos de Funchal, Calheta e S.Vicente,  um exemplar da sua obra, os quais entregou em mão aos elementos de  vereação citados,  exceto ao concelho de São Vicente, cuja vereadora igualmente com o pelouro da cultura, não pôde estar presente mas, adiantou que já reuniu esforços para que lá também chegue a oportunidade dos munícipes poderem contactar igualmente, com a sua poesia mágica, sem qualquer custo. Esta doação, explicou a autora, deveu-se ao facto dos concelhos citados, terem sido os que a formou como pessoa e onde estão a maioria das gentes que residem no seu coração”.  Finalizou, segundo acrescenta, “com os agradecimentos a todos os presentes, relevando o seu amigo professor e escritor Francisco Caldeira por ter colaborado como orador da sessão com aquela excelência deveras vincada, bem como, à administração do Centro Comercial La Vie que cedeu o espaço gratuitamente, evidenciando Joaquina Freitas, diretora de marketing, que contribuiu desde sempre, para o sucesso da sessão”. Acrescentou que “também não queria deixar de elevar o feito dos seus amigos músicos, Miguel Neiva e André Ferreira,(professores de música da escola onde leciona), por terem tido a amabilidade de terem tocado a música de fundo aquando leu os poemas e no desfecho, aquela música instrumental tão sublime, ‘Lady in Red’ de Chris de Burgh, exibindo o poema "Mulher de Vermelho", que destaca na contra capa do seu livro”. O seu ênfase final, foi “o quão estava agradecida a todos os presentes sem qualquer exceção, informando a surpresa peculiar ‘in red’, das suas colegas amigas, da  escola onde leciona: ofereceram-lhe, cada uma delas, uma rosa vermelha nos últimos minutos de encerramento da sessão”.