Lusodescendente pede "mais informação" sobre apoios ao dispor

Jenny Gonçalves, lusodescendente oriunda da Venezuela, pediu hoje que o Governo Regional forneça “mais informações” sobre todos os mecanismos de apoio que estão ao dispor dos emigrantes. Jenny Gonçalves é uma das muitas pessoas que assiste...

Lusodescendente pede "mais informação" sobre apoios ao dispor
Jenny Gonçalves, lusodescendente oriunda da Venezuela, pediu hoje que o Governo Regional forneça “mais informações” sobre todos os mecanismos de apoio que estão ao dispor dos emigrantes. Jenny Gonçalves é uma das muitas pessoas que assiste esta tarde ao Fórum Madeira Global, que está a decorrer no Savoy Palace, e, como o modelo do painel permite, questionou diretamente o secretário regional da Educação sobre a falta de informação que nota. “Há muitas pessoas que não sabem o que há. É lamentável que as pessoas que estão a fugir da Venezuela cheguem aqui com uma incógnita enorme”, afirmou, dizendo que muitos desses casos estão a ser vividos pelos filhos e netos de emigrantes, como é o seu caso. Mas o quadro que traçou para a plateia não é pintado apenas a cores escuras. “O meu filho está a estudar em Portugal através do contingente para emigrantes, e ainda bem, porque se estivesse na Venezuela, provavelmente não estaria a estudar”, afirmou. O que Jenny Gonçalves gostaria era que a informação fosse mais acessível, porque muito do que os emigrantes sabem é no “diz-que-disse” entre familiares e amigos, e nem sempre essa informação é correta. Por isso, hoje reconheceu estar surpreendida com o conjunto de apoios que o secretário regional da Educação, que tutela as comunidades, enumerou no debate desta tarde. Jenny Gonçalves sublinhou que os emigrantes e lusodescendentes não querem agora as “atenções todas”, só por estarem a atravessar um momento tão difícil, apenas querem maior difusão da informação. Em resposta, Jorge Carvalho aconselhou todos quantos têm dúvidas a irem ao Centro das Comunidades Madeirenses, por ser o serviço que melhor pode encaminhar e orientar os emigrantes e lusodescendentes.