Mafalda Gonçalves leva ao plenário madeirense o reiterado incumprimento da Lei da Paridade

Numa semana que terminará com a celebração do Dia Internacional da Mulher, Mafalda Gonçalves levou na manhã desta quinta-feira ao plenário madeirense o reiterado incumprimento da Lei da Paridade. Aprovada em 2006, confinando 33% de quota para...

Mafalda Gonçalves leva ao plenário madeirense o reiterado incumprimento da Lei da Paridade
Numa semana que terminará com a celebração do Dia Internacional da Mulher, Mafalda Gonçalves levou na manhã desta quinta-feira ao plenário madeirense o reiterado incumprimento da Lei da Paridade. Aprovada em 2006, confinando 33% de quota para listas a eleições nacionais, a lei nunca foi colocada em prática na Região. “É caso único no País”, clamou a deputada do PS. Entretanto a lei já sofreu alterações, reservando agora 40% e a obrigatoriedade de não poderem surgir mais que dois elementos do mesmo sexo de forma consecutiva. Ora, “neste parlamento, entre 47 deputados, apenas 15 são mulheres, representando 31%”. Mafalda Gonçalves culpa o PSD desta situação, lembrando que na sua lista, nos “primeiros 30 nomes apenas seis eram mulheres”, acusando os sociais-democratas de não estarem interessados em rever a lei eleitoral na Madeira.