Médico a testar remédio para a Covid-19 pede um milhão a Cristiano Ronaldo

Paolo Ascierto, médico italiano e diretor da Unidade de Melanoma, Imunoterapia no Cancro e Terapias Inovadoras no Istituto Pascale di Napoli, está empenhado em investigar a pandemia atual e diz ter descoberto como criar um medicamento que melhora a condição dos doentes da Covid-19. No entanto, o oncologista, em entrevista ao jornal italiano Tuttosport, diz precisar de apoio monetário para que a sua investigação siga em frente e deixa, portanto, um apelo à solidariedade do seu jogador favorito: Cristiano Ronaldo. Segundo conta o mesmo médico, é com um remédio criado através de um medicamento para a artrite reumatoide que está a obter “resultados encorajadores, que podem ajudar a reduzir a emergência sanitária italiana”. “Este medicamento, o Tocilizumab, é usado para tratar os efeitos secundários da imunoterapia. O desconforto respiratório é semelhante ao do Covid-19 nesses efeitos. Assim, com o meu grupo de trabalho em Nápoles, fizemos um estudo para aplicar o nosso conhecimento à emergência de coronavírus que estamos a enfrentar”, conta o oncologista, que assegura que, após terem feito o teste em dois dos pacientes em estado mais grave com o medicamento, após a infeção pelo Covid-19, nas vinte e quatro horas seguintes, um deles teve “grandes melhorias”. Paolo Ascierto refere que está já a ser preparado um outro medicamento no combate à doença, desta vez uma vacina preventiva para a infeção por Sars-Co2, o vírus responsável pelo Covid-19. Para isso, acrescenta, é necessário apoio financeiro, sendo necessário cerca de um milhão de euros para que a vacina comece a ser testada já em setembro. Nesse sentido, pede apoio “aos campeões do desporto, em particular a Cristiano Ronaldo”, o seu “ídolo que, nesta situação difícil, provou ser um exemplo para o mundo, colocando as pessoas à frente de tudo”. “Cristiano, vamos unir-nos para lutar contra o coronavírus”, apela o médico, citado pelo Tuttosport.

Médico a testar remédio para a Covid-19 pede um milhão a Cristiano Ronaldo
Paolo Ascierto, médico italiano e diretor da Unidade de Melanoma, Imunoterapia no Cancro e Terapias Inovadoras no Istituto Pascale di Napoli, está empenhado em investigar a pandemia atual e diz ter descoberto como criar um medicamento que melhora a condição dos doentes da Covid-19. No entanto, o oncologista, em entrevista ao jornal italiano Tuttosport, diz precisar de apoio monetário para que a sua investigação siga em frente e deixa, portanto, um apelo à solidariedade do seu jogador favorito: Cristiano Ronaldo. Segundo conta o mesmo médico, é com um remédio criado através de um medicamento para a artrite reumatoide que está a obter “resultados encorajadores, que podem ajudar a reduzir a emergência sanitária italiana”. “Este medicamento, o Tocilizumab, é usado para tratar os efeitos secundários da imunoterapia. O desconforto respiratório é semelhante ao do Covid-19 nesses efeitos. Assim, com o meu grupo de trabalho em Nápoles, fizemos um estudo para aplicar o nosso conhecimento à emergência de coronavírus que estamos a enfrentar”, conta o oncologista, que assegura que, após terem feito o teste em dois dos pacientes em estado mais grave com o medicamento, após a infeção pelo Covid-19, nas vinte e quatro horas seguintes, um deles teve “grandes melhorias”. Paolo Ascierto refere que está já a ser preparado um outro medicamento no combate à doença, desta vez uma vacina preventiva para a infeção por Sars-Co2, o vírus responsável pelo Covid-19. Para isso, acrescenta, é necessário apoio financeiro, sendo necessário cerca de um milhão de euros para que a vacina comece a ser testada já em setembro. Nesse sentido, pede apoio “aos campeões do desporto, em particular a Cristiano Ronaldo”, o seu “ídolo que, nesta situação difícil, provou ser um exemplo para o mundo, colocando as pessoas à frente de tudo”. “Cristiano, vamos unir-nos para lutar contra o coronavírus”, apela o médico, citado pelo Tuttosport.