Miguel Silva Gouveia destaca cultura de prevenção para dar resposta a desastres naturais

O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, marcou presença, esta tarde, no auditório da Escola de Santo António e Curral das Freiras, para a conferência da Rede de Escolas da UNESCO, que visou analisar a capacidade de...

Miguel Silva Gouveia destaca cultura de prevenção para dar resposta a desastres naturais
O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, marcou presença, esta tarde, no auditório da Escola de Santo António e Curral das Freiras, para a conferência da Rede de Escolas da UNESCO, que visou analisar a capacidade de resposta do Municipio do Funchal a uma situação de catástrofe, neste dia em que se assinala os 10 anos da grande aluvião de 20 de Fevereiro. Perante uma plateia repleta de jovens, o presidente da autarquia funchalense explicou que a Câmara Municipal do Funchal, “fez e ainda continua a fazer um trabalho de intervenção muito importante na cidade, são dez anos em que continuamente investimos em infraestruturas que foram lesadas pelo temporal, seja através da consolidação de escarpas, separação de redes de pluviais, intervenções em ribeiras, veredas, e pavimentação de estradas”. Para além deste investimento, a autarquia tem trabalhado de forma a capacitar os meios de intervenção, “sentimos a necessidade de reforçar as equipas dos Bombeiros Sapadores e da Proteção Civil Municipal com novos elementos, com formação, novas viaturas e equipamentos, que lhes permitam, em caso de catástrofe, ou de outro tipo de intervenções, darem uma melhor resposta no socorro, apoio e segurança dos funchalenses e de toda a população”.  Miguel Silva Gouveia assumiu que esta data recorda-nos o passado, mas deverá exigir também que olhemos para o futuro, “hoje o Funchal está coletivamente mais bem preparado para fazer face às contingências provocadas pelas forças da natureza, contudo, continua à mercê da estupidez humana de alguns, e estamos aqui para refletir sobre o que deve ser um trabalho contínuo no sentido de adquirir uma cultura de prevenção, com educação para o risco e consciencialização cívica”.