MPT apela às autarquias para que protejam os funcionários que estão a trabalhar

O MPT apelou esta tarde, a todas as autarquias e em especial à do Funchal, para que "favoreçam a criação de condições a todos os funcionários que estão a trabalhar apesar de todo o medo e incerteza de poder contaminar-se a si e aos outros". "Neste momento sabemos que não existem condições mínimas para todos os funcionários, no sentido de garantir que lavam as mãos de trinta em trinta minutos, os funcionários que trabalham na rua necessitam de casas de banho, de um local próprio e adequado para comer, de produtos de contenção do risco que correm. Desta maneira, vamos pedir que verifiquem as condições que estão a dar a todos os funcionários e se estas estão de acordo com as normas em vigor. Quando não podemos garantir a segurança dos funcionários devemos dispensar", sugere Valter Rodrigues, da Comissão Reinstaladora do MPT na Madeira, em nota enviada à imprensa, Não querendo "ver a vida de nenhum cidadão em perigo", o partido apela ainda ao apoio das autarquias "pois hoje é tempo de contenção do vírus; não podemos atuar sem prudências, cautela e bom senso de todos".  "Não podemos de deixar de dizer, fiquem em casa e sejam responsáveis pela prevenção", refere no comunicado, salientando que aproveita a ocasião para "deixar o nosso agradecimento a todos os cidadãos que estão a garantir os serviços mínimos na Região Autónoma da Madeira". Valter Rodrigues lembra ainda que "não é tempo de discórdia, mas de estarmos todos juntos a lutar contras as dificuldades atuais".

MPT apela às autarquias para que protejam os funcionários que estão a trabalhar
O MPT apelou esta tarde, a todas as autarquias e em especial à do Funchal, para que "favoreçam a criação de condições a todos os funcionários que estão a trabalhar apesar de todo o medo e incerteza de poder contaminar-se a si e aos outros". "Neste momento sabemos que não existem condições mínimas para todos os funcionários, no sentido de garantir que lavam as mãos de trinta em trinta minutos, os funcionários que trabalham na rua necessitam de casas de banho, de um local próprio e adequado para comer, de produtos de contenção do risco que correm. Desta maneira, vamos pedir que verifiquem as condições que estão a dar a todos os funcionários e se estas estão de acordo com as normas em vigor. Quando não podemos garantir a segurança dos funcionários devemos dispensar", sugere Valter Rodrigues, da Comissão Reinstaladora do MPT na Madeira, em nota enviada à imprensa, Não querendo "ver a vida de nenhum cidadão em perigo", o partido apela ainda ao apoio das autarquias "pois hoje é tempo de contenção do vírus; não podemos atuar sem prudências, cautela e bom senso de todos".  "Não podemos de deixar de dizer, fiquem em casa e sejam responsáveis pela prevenção", refere no comunicado, salientando que aproveita a ocasião para "deixar o nosso agradecimento a todos os cidadãos que estão a garantir os serviços mínimos na Região Autónoma da Madeira". Valter Rodrigues lembra ainda que "não é tempo de discórdia, mas de estarmos todos juntos a lutar contras as dificuldades atuais".